Tamanho do texto

Ao todo, são cumpridas 26 ordens judiciais: 12 mandados de condução coercitiva e 14 de busca e apreensão; ações são realizadas em municípios de Goiás, do Paraná, de Santa Catariana e em Brasília nesta quarta-feira (15)

Operação em Goiás busca coletar provas da participação de empresários e de agentes públicos nas irregularidades
Marcelo Camargo/ Agência Brasil - 05.09.2016
Operação em Goiás busca coletar provas da participação de empresários e de agentes públicos nas irregularidades

A Polícia Federal (PF), em ação conjunta com o Ministério Público Federal em Goiás (MPF-GO), deflagrou nesta quarta-feira (15) uma operação para apurar crimes de fraudes em licitações e desvio de recursos públicos em um convênio firmado entre o extinto Ministério da Pesca e Agricultura e o município de Itauçu, no centro do estado.

LEIA MAIS: Nova operação contra fraudes na Lei Rouanet apura desvios de R$ 25 milhões

Ao todo, são cumpridas 26 ordens judiciais em Goiás , no Paraná, em Santa Catarina e em Brasília. Do total de mandados, 12 são de condução coercitiva e 14 de busca e apreensão.

As ações são realizadas nos municípios de Itauçu, Abadia de Goiás, Goiânia, Aparecida de Goiânia, além de Brasília. No Paraná, os mandados são cumpridos em Joaquim Távora e Pinhalão. Em Santa Catarina, na cidade de Campo Erê.

A operação, que foi batizada de Betsaida, busca coletar provas da participação de empresários e de agentes públicos nas irregularidades. Participam da operação, cerca de 60 policiais federais e 11 auditores da Controladoria Geral da União (CGU) em Goiás, que também coordena a operação.

LEIA MAIS: PF deflagra nova fase da Operação Acrônimo e investiga fraudes em ministérios

De acordo com o MPF-GO, as investigações sobre a Operação Betsaida tiveram início no ano de 2015. As fraudes teriam ocorrido por meio de irregularidades em uma parceria firmada entre o Ministério da Pesca e Aquicultura e o município de Itauçu, para a construção de uma fábrica de farinha e ração para peixes. A parceria tinha o valor de R$ 14,7 milhões.

As investigações teriam tido início por conta de uma representação feita ao MPF-GO por um grupo de vereadores de Itauçu. No entanto, nas primeiras apurações, foram constatados problemas ainda maiores que os relatados pelos vereadores: licitações direcionadas foram encontradas e a parceria sofria um superfaturamento de mais de R$ 840 mil.

Multiplicação dos peixes

O nome da operação é uma referência à cidade de Betsaida, localizada ao norte do mar da Galileia, onde, segundo o Evangelho, Jesus Cristo realizou o milagre da multiplicação dos peixes, em alusão à magnitude do empreendimento, cuja capacidade de processamento de peixes excede em muito toda a atual produção de pescado de Goiás. Betsaida em hebraico significa "casa da pesca".

LEIA MAIS: Operação da Polícia Federal investiga bandas de forró

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.