Tamanho do texto

Ministro do STF que era relator da Lava Jato morreu nesta quinta-feira, em um acidente de avião; Cármen Lúcia e ministros lamentaram sua morte

Luiz Fux lamenta a morte do colega ministro Teori Zavascki, a quem chamou de
Alan Sampaio / iG Brasília
Luiz Fux lamenta a morte do colega ministro Teori Zavascki, a quem chamou de "querido amigo e exemplar magistrado"

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, divulgou uma nota na manhã desta sexta-feira (20) em que lamenta a morte do colega ministro Teori Zavascki, a quem chamou de "querido amigo e exemplar magistrado."

LEIA MAIS: Temer lamenta morte de Teori Zavascki e declara luto oficial de três dias

Até o momento, entre os membros do Supremo, manifestaram publicamente o pesar pela morte de Teori a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, e os ministros Luiz Roberto Barroso e Luiz Fux. Por telefone, o ministro Marco Aurélio, que encontra-se de férias no Rio de Janeiro também se disse extremamente consternado e em estado de "perpétua homenagem" ao ministro Teori.

O ministro Teori Zavascki morreu em um acidente de avião na tarde desta quinta-feira (19), quando se dirigia a Paraty em um bimotor. Outras quatro pessoas também morreram, entre elas o empresário Carlos Alberto Fernandes e o piloto Osmar Rodrigues. Os outros dois corpos ainda não foram identificados.

LEIA MAIS: Cármen Lúcia diz que ainda não analisou como ficará andamento da Lava Jato

Confira a íntegra da nota do ministro Luiz Fux:

“Confirmada a morte do querido amigo e exemplar magistrado Teori Zavascki, o ministro Luiz Fux manifesta profundo sentimento de pesar aos familiares e entes queridos do ministro, destacando o convívio pessoal e profissional que mantiveram por longos anos, no STJ e no STF, acrescentando que o ministro Teori foi e será daquelas pessoas das quais não só nos lembraremos sempre, mas antes, jamais o esqueceremos pelo bem que realizou em prol do País e da Justiça."

Cármen Lúcia e Janot

Em um rápido pronunciamento à imprensa na noite desta quinta-feira, a presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, evitou comentar o futuro dos processos da Lava Jato após a morte de Teori Zavascki.

“Não estudei nada, por enquanto”, disse ao ser questionada sobre que ministro ficaria com a relatoria dos inquéritos. “Minha dor é humana, como tenho certeza de que é a dor de todos os brasileiros depois de perder um juiz como este”, afirmou.

LEIA MAIS: Janot prevê atraso de pelo menos três meses na Lava Jato

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, estava na Suíça quando recebeu a notícia sobre a morte do ministro Teori. Imediatamente, ordenou o cancelamento de todos os seus compromissos no país e decidiu que retornaria nesta sexta-feira (20) ao Brasil, chegando a Brasília no fim do dia.

* Com informações da Agência Brasil.