Tamanho do texto

Ex-presidente fez menção aos atos de resistência do partido que falharam em 2016, como as campanhas de oposição "não vai ter golpe" e "Fora Temer"

Em  lançamento de congresso, Lula fez discurso sobre o futuro do partido e afirmou que 2017 é ano de recuperação do PT
Divulgação/PT
Em lançamento de congresso, Lula fez discurso sobre o futuro do partido e afirmou que 2017 é ano de recuperação do PT

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou nessa quinta-feira (19) do evento de lançamento do 6º Congresso Nacional do PT, que está previsto para acontecer ainda no primeiro semestre deste ano. O evento aconteceu no Hotel Jaraguá, no centro de São Paulo.

LEIA MAIS: PF pede prorrogação de inquérito que investiga Dilma, Lula e Cardozo no STF

Em seu discurso, Lula afirmou que o partido deve trabalhar em uma proposta que faça com que a esperança no PT seja reconstruída entre os brasileiros. Para ele, não se deve esperar até 2018 para tomar uma atitude, quando 2017 é o ano para revitalizar a imagem do partido. “É um ano que eu quero me dedicar, de corpo e alma, para reconstruir e limpar a imagem desse partido”, disse.

Lula acredita que a melhor forma de recuperar a imagem do PT entre os brasileiros seja a promoção de debates em todo o País, inclusive com aqueles que não têm afinidade com a legenda. “Se a gente decidir levar essa coisa a sério, nós temos que dizer em alto e bom som, esse partido e seus dirigentes vão voltar a rodar esse País, fazer um debate, voltar pras universidades, sindicados, acampamentos e sindicatos, discutir com empresários”.

LEIA MAIS: PT pode lançar pré-candidatura de Lula à Presidência entre fevereiro e abril

Mesmo vivendo, talvez o momento mais difícil de toda a história do partido, Lula acredita que não há motivos para se envergonhar do que foi feito. “Não temos que ter medo, vergonha do que fizemos. Eu tenho orgulho da nossa história. Não existe nenhum partido no planeta terra nas condições do PT. Não existe um partido criado nas condições que fomos criados, que deu cidadania a toda esquerda brasileira”, defendeu.

O ex-presidente acredita que o partido não pode pensar que pode voltar a ser somente oposição e protesto. “Nós não podemos mais apenas fazer uma ação política de resistência. Porque nós ficamos gritando ‘Fora Temer’, e o Temer está lá dentro. Gritamos ‘não vai ter golpe’ e teve golpe. Estamos contra as reformas e eles estão aprovando em tempo recorde”.

LEIA MAIS: Lula processa promotor de SP por danos morais e pede indenização de R$ 1 milhão

Lula finalizou seu discurso afirmando que o Congresso deste ano será essencial para a definição de uma nova direção para o PT. Foram convidados para o evento as lideranças da Frente Brasil popular como o MST e a CUT.

    Leia tudo sobre: Lula