Tamanho do texto

Prefeito de Salvador foi reeleito com quase 74% dos votos válidos; chefe do Poder Executivo municipal citou o contingenciamento dos gastos públicos

ACM Neto foi reeleito prefeito de Salvador (BA) com cerca de 74% dos votos válidos; vice foi substituída
Divulgação/Facebook
ACM Neto foi reeleito prefeito de Salvador (BA) com cerca de 74% dos votos válidos; vice foi substituída

O prefeito de Salvador (BA), ACM Neto (DEM), oficializou neste domingo (1º) o início do seu segundo mandato consecutivo como chefe do Poder Executivo municipal. Na Câmara de Vereadores, citou o contingenciamento de gastos e disse que continuará priorizando os mais pobres em sua gestão.

+ Doria fala em humildade e promete se vestir de gari no 1º dia útil de governo

“Nós enxergamos que há uma cidade dos ricos e outra dos pobres e é por isso que nós fizemos muito mais pela dos pobres: 76% dos investimentos [da primeira gestão] foram nas áreas mais pobres da cidade. Esse é um compromisso que continua no segundo mandato”, garantiu A CM Neto durante seu discurso de posse, que levou cerca de 40 minutos.

Reeleito com quase 74% dos votos válidos, o mandatário terá um novo vice-prefeito. No lugar de Célia Sacramento, entra Bruno Reis (PMDB), que atuava como secretário municipal de Promoção Social, Esporte e Combate à Pobreza de Salvador . Agora como vice, Reis assumirá as Relações Institucionais da prefeitura, pois a pasta que cuidava do assunto foi extinta na reforma administrativa anunciada pelo prefeito.

Comparações

Durante o evento, o democrata fez referências ao avô já falecido, Antônio Carlos Magalhães, e comparou a atual situação da capital baiana com a conjuntura econômica do País . Para ele, Salvador está “muito melhor” que a situação nacional, porque a cidade se mantém “ficha limpa” e consegue firmar convênios, sobretudo com bancos internacionais.

“O cenário de hoje, desta posse, é bem diferente do cenário de quatro anos atrás. Agora, em 2017, o Brasil , infelizmente, está muito pior, mas podemos dizer, com orgulho, que Salvador está muito melhor”, disse.

Relação com a Câmara Municipal

A relação com os 43 vereadores soteropolitanos, segundo o prefeito, será em prol do bem da população, independente de partido . “Eu estou disposto, como sempre estive, a sentar com a oposição, com políticos de qualquer partido, para discutir os melhores projetos e soluções para a nossa cidade. Acima de qualquer divergência ideológica ou diferença partidária estará o bem-estar da população de Salvador”, afirmou.

+ Alexandre Kalil assume em BH e pede "juízo" aos vereadores eleitos

Durante o discurso, o chefe do Executivo municipal reafirmou o compromisso de governar nas ruas e entregar obras consideradas importantes para a população. Uma delas é o BRT (transporte rápido por ônibus) que vai ligar a Estação da Lapa, na área central, à região do Iguatemi, próxima à orla e à rodoviária interestadual, cuja licitação pode ter edital lançado ainda este mês. Além disso, ele pretende entregar, até o próximo ano, o primeiro Hospital Municipal de Salvador, que está com obras em andamento, no bairro de Cajazeiras.

Prioridades

O mandatário reeleito anunciou ainda a proposta de contingenciamento dos gastos do município que chegará a R$ 420 milhões.

“Nós vamos começar o ano bem conservadores, para acompanhar o comportamento da arrecadação. Se ela for boa, a gente vai liberando os recursos de investimento . Está estabelecido como prioridade continuar o que a gente começou: as obras que precisam ser continuadas e entregues. Novas ações e novos projetos dependerão da existência de recursos”, explicou o prefeito.

Além da construção do primeiro hospital municipal, o democrata disse que pretende priorizar a criação de mais vagas para creches, ponto considerado problemático na gestão. A prefeitura oferece auxílio de R$ 50 às famílias com crianças em idade de iniciação escolar que não conseguiram vaga em rede pública, mas a medida é considerada insuficiente pela população.

+ “A ordem é a seguinte: é proibido gastar”, afirma Crivella em cerimônia de posse

ACM Neto também prometeu lançar um pacote com “uma série de incentivos fiscais” para a geração de empregos, área que especialistas consideram prioritária para a cidade. “O essencial é fazer Salvador mais competitiva, para gerar mais empregos e fazer a economia crescer. Hoje, o problema do desemprego é do Brasil inteiro, mas eu quero que Salvador saia na dianteira e comece a superar a crise na frente das outras cidades. Nós vamos desenvolver um conjunto de ações focadas nesse objetivo de diminuição de empregos aqui na cidade”, afirmou.


* Com informações da Agência Brasil