Equipes trabalham no local onde os restos mortais foram encontrados
Reprodução/Brasil Urgente
Equipes trabalham no local onde os restos mortais foram encontrados

Uma cova clandestina com restos mortais ainda não identificados foi encontrada pela Polícia Militar nesta quarta-feira (17), na Vila Santa Catarina, zona sul de São Paulo. 

Os primeiros ossos foram localizados por funcionários da Sabesp, que trabalhavam no local. Acredita-se que os corpos podem ter relação com o assassino Jorge Luiz, preso em 2016, batizado de "Monstro da Alba" - nome de uma favela da região.

Investigadores descobriram que o Luiz atuava nas proximidades. O delegado da PM Glaucus Vinícius Silva, que participou da investigação, disse ao programa 'Brasil Urgente' que o corpo de uma das vítimas nunca havia sido encontrado.


Leia Também

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP) informou que  "policiais militares foram chamados para atender uma ocorrência de encontro de cadáver. No local dos fatos, um funcionário de uma companhia de água disse trabalhar na parte externa do imóvel quando, durante escavação, percebeu que havia partes de uma ossada humana, sendo uma arcada dentária e um pedaço de osso não identificado."

O pintor confessou oito assassinatos - depois de cometer os crimes, ele enterrava suas vítimas em casa. A denúncia partiu da própria mãe.

Além dos ossos e restos mortais, pertences pessoais como roupas e um anel também foram localizados pelos peritos. Foram solicitados exames periciais e carro de cadáver. O caso foi registrado como morte suspeita no 16º DP e será investigado pelo 35º DP.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários