Sabrina Freitas Cartaxo, de 16 anos, está desaparecida desde segunda-feira
Reprodução
Sabrina Freitas Cartaxo, de 16 anos, está desaparecida desde segunda-feira

A Polícia Civil investiga o desaparecimento de Sabrina Freitas Cartaxo Araújo Pereira, adolescente de 16 anos que não é vista desde segunda-feira. Por volta de 8h de terça-feira, ao acordar, a mãe da jovem, Mariana Cartaxo, encontrou um bilhete deixado pela menina na mesa da cozinha de casa com a frase “Fui caminhar, já volto". Desde então, ela não voltou mais.

Sabrina mora com a mãe e o padrasto num apartamento em Copacabana. O caso foi registrado no mesmo dia do desaparecimento na 12ª DP (Copacabana), que encaminhou o caso para a Delegacia de Descoberta de Paradeiro (DDPA).

Por meio de imagens de segurança das câmeras do prédio onde mora, Mariana conseguiu identificar que a filha saiu de casa pouco depois das 7h, com uma mochila cheia nas costas. O vídeo, assim como fotos de Sabrina, foram compartilhados com o GLOBO pela mãe. Segundo ela, o porteiro do prédio contou que, minutos depois, a jovem voltou, lavou a mão numa pia próxima à portaria, e saiu de novo.

"Estou muito angustiada e começando a pensar no pior. Ela nunca tinha feito nada parecido. A minha angústia só aumenta. Assim que vi o bilhete, comecei a ligar para o telefone dela, que estava ligado, mas ela não atendia. Só as mensagens por Whatsapp que não chegavam. Por volta de 11h30, o celular começou a dar desligado" conta a mãe, que aguarda a polícia solicitar uma autorização judicial para quebra do sigilo telefônico de Sabrina com a operadora para tentar descobrir o trajeto feito pela adolescente.

Leia Também

Leia Também

Sabrina faz Ensino Médio e um curso de Desenvolvimento de Jogos Digitais pela Firjan, tendo uma rotina intensa de estudos, das 7h às 18h. Ela começou a fazer psicanálise e acompanhamento psicológico após a mãe reparar numa mudança de comportamento, o que também foi percebido por amigos próximos.

Após o desaparecimento, na tarde de terça-feira, Mariana foi até Realengo, bairro onde Sabrina foi criada e onde fica a casa de seu avô, que hoje mora sozinho. Lá, encontrou a mesma mochila que a jovem carregava quando saiu de seu prédio em Copacabana, porém vazia.

"Meu pai é idoso, então não reparou ela entrando em casa. Já falamos com amigos e com o namorado dela, mas ninguém tem informação nenhuma. Só um amigo dela que falou que, de umas semanas para cá, ela começou a comentar muito sobre o namorado, que estava muito apaixonada e que ele tinha até comprado uma aliança pra ela. Disse que eles já sabiam até onde iriam morar quando se casassem" detalha.

A Polícia Civil ainda não respondeu aos questionamentos feitos pelo GLOBO.

Quem tiver informações sobre Sabrina pode entrar em contato com o Disque-Denúncia (21 2253-1177) ou com o Conselho Tutelar (21 2286-8337 e 21 98596-5296).

Drop here!

    rio

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários