Casal transportaria a carga de São Vicente (SP) para Recife (PE).
Divulgação/Polícia Militar
Casal transportaria a carga de São Vicente (SP) para Recife (PE).

Na última quinta-feira (10), um casal foi sequestrado após cair em uma armadilha organizada por criminosos. Um caminhoneiro, de 43 anos, e sua esposa, de 35, estavam em São Vicente, no litoral de São Paulo, para transportar uma carga até a cidade de Recife. De acordo com o homem, um indivíduo chegou ao local marcado e informou que o casal não poderia fazer o transporte sem confirmar que não estavam com Covid-19 (Sars-Cov-2), porém quando chegaram na suposta clínica, o sequestro foi anunciado. 

“Quando chegamos ao cativeiro, ele falou que aquilo era um sequestro. Explicou que usariam meu caminhão para transportar drogas e que assim que tudo fosse finalizado, eu teria o meu caminhão de volta”, disse a vítima em entrevista ao G1 .

O casal, que recebeu o pedido de frete por um aplicativo , ficou em cárcere privado até domingo (13). Durante os quatro dias de sequestro, o homem e a mulher eram obrigados a manter contato com a família para fingir que estavam bem e não levantar suspeitas. 

“Eles davam o telefone para a gente falar com os parentes e faziam ameaças. Falavam que nós tínhamos que passar tranquilidade e avisar que estava tudo saindo conforme o esperado”, relatou o caminhoneiro. Os dois ficaram presos em um quarto pequeno com um colchão improvisado e foram alimentados apenas com pão e água.

A polícia comunicou que as equipes receberam a notícia de que um indivíduo estava tentando roubar um caminhão na Rua Cásper Líbero, no bairro Cidade Náutica, em São Vicente. Os policiais tentaram buscar informações sobre o dono do veículo e descobriram que ele estava em cárcere privado.

Detido, o criminoso deu detalhes da operação realizada pela quadrilha. Os demais suspeitos souberam da prisão do comparsa e decidiram liberar as vítimas em Cubatão, segundo a Polícia Militar.

Depois de liberado, o casal fez o registro do sequestro para as autoridades. “Eles levaram meu celular e meus cartões. Que isso sirva de alerta aos meus colegas de trabalho e a todos. Foi muito difícil”, desabafa. A Polícia Civil vai investigar o caso como sequestro, cárcere privado e roubo de carga.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários