Taxista pode ser condenado a dois anos de detenção e multa
Reprodução: iG Minas Gerais
Taxista pode ser condenado a dois anos de detenção e multa

Um taxista de 27 anos foi denunciado por moradores da cidade de Ascurra, em Santa Catarina , à vigilância sanitária na última segunda-feira (7),  após continuar trabalhando mesmo após ter testado positivo para o novo coronavírus (Sars-Cov-2). 

Com apoio da Defesa Civil e da polícia militar, câmeras de seguranças flagraram o motorista próximo ao ponto de taxi. Apesar do registro, ele negou as acusações em primeiro momento, contudo, admitiu que mesmo contaminado, continou trabalhando, alegando que necessitava trabalhar para ajudar a família.

Diversos clientes foram atendidos, dessa forma, a vigilância sanitária espera que ele informe quantas e quais pessoas tiveram contato com ele durante o período.

A secretária de saúde registrou um boletim de ocorrência . Agora, o motorista responderá um processo administrativo, e segundo o delegado responsável pelo caso Ronnie Esteves, ele poderá responder pelos crimes de exposição a vida alheia a perigo direto e o de infrigir ordem do poder público que impede propagação de doença contagiosa.

Você viu?

Caso condenado, ele pode cumprir dois anos de pena e multa. O infrator, que não teve nome divulgado, deixou o isolamento na quarta-feira (9) após ter cumprido os 14 dias após o resultado positivo para Covid.




    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários