Ronnie Lessa,  policial militar reformado acusado de matar Marielle Franco
Marcelo Theobald/Agência O Globo
Ronnie Lessa, policial militar reformado acusado de matar Marielle Franco

O ex-sargento da PM  Ronnie Lessa continua com a aposentadoria bloqueada . A Justiça do Rio negou o pedido para o desbloqueio do pagamaneto. O PM reformado teve 70% dos proventos cortados no dia 7 deste mês por determinação do Tribunal do Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ). Lessa é investigado pela morte da vereadora Marielle Franco e de seu motorista Anderson Gomes.

A decisão por manter o bloqueio é da desembargadora Katya Monnerat, da 1º Câmara Criminal do TJ do Rio. Segundo a magistrada, a decisão é amparada por "minuciosa investigação". A medida visa ao ressarcimento à vítima sobrevivente e aos familiares das vítimas fatais.

Você viu?

Na decisão há duas semanas, o juiz Gustavo Gomes Kalil, da 4ª Vara Criminal do TJ do Rio, atendeu a um pedido do Ministério Público do Rio, que considerou as suspeitas de lavagem de dinheiro para limitar a renda de Lesa. O MP citou "vida incompatível com seus proventos de sargento da PMERJ reformando". O ex-PM, então, terá direito a 30% do subsídio a título de "natureza alimentar".

Ronnie Lessa segue preso e aguarda julgamento.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários