foto
Reprodução
O homem e a mulher mantida como refém estão no fundo da loja


O homem de 34 anos, que fez uma mulher refém numa lanchonete na Tijuca, Zona Norte do Rio, nesta sexta-feira(04), responde a um processo de lesão corporal tipificado como violência doméstica , pela comarca de Valença, no Sul fluminense, onde a vítima vivia. Ela foi libertada pela Polícia Militar após cerca de quatro horas de sequestro .


No Instagram, a mulher fazia declarações de amor ao namorado , escrevendo "love love" nas legendas de fotos, além de criar montagens em vídeo ao som de uma música romântica. A última foto postada mostra o casal junto, com a localização marcada em Valença, mas não é recente. A imagem é datada do último 10 de novembro. Nos comentários, internautas deixam mensagens de apoio diante do ocorrido. Muitos deles dizem apenas "boa sorte".

"Vaza que dá tempo amiga", escreveu uma mulher.

"Deus te livre disso", afirmou mais um usuário.

"Que Deus tenha misericórdia", destacou outra.

O agressor não apenas responde por violência doméstica, como também por outros crimes, tendo inclusive já sido preso . Ele estava em regime semiaberto e não havia voltado para a cadeia.

Outros três reféns , funcionários da loja que estavam presos em um escritório, foram liberados e atendidos.

De acordo com a Polícia Militar, equipes do Programa Tijuca Presente esvaziaram o estabelecimento, e em seguida, agentes de negociação do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) chegaram ao local para fazer a negociação. As demais unidades da área realizaram o isolamento da rua.

Dois jovens, que seriam o filho, que participou das negociações junto com a polícia, e um sobrinho da vítima, também foram à lanchonete.

    Veja Também

      Mostrar mais