crime
Reprodução
Câmeras de segurança flagraram ação de criminosos


A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) concluiu o inquérito que apurou a morte do vigilante Leandro Chaves da Silva, que ocorreu em junho deste ano durante um assalto no Centro de Distribuição do Grupo Pão de Açúcar em Duque de Caxias, na Baixada. Sete pessoas - entre elas dois chefes do tráfico na favela Nova Holanda, no Complexo da Maré - foram indiciadas pelo crime .


A investigação apontou que o crime foi praticado por uma q uadrilha especializada em realizar roubos milionários a centros de distribuição de cargas. O grupo, além de matar Leandro Chaves, ainda baleou outro vigilante. A empresa estima que o prejuízo causado pelo roubo tenha sido de aproximadamente R$ 15 milhões.

A DHBF indiciou Luiz Carlos Gonçalves de Souza, o LC, e Rodrigo da Silva Caetano, o Motoboy, apontados como chefes do tráfico na Nova Holanda. Também foram indiciados Iago Matos da Silva, Leonardo Santos Costa Falcão, conhecido como Leo GTA, Luciano Rodrigues de Almeida, Mateus Marques da Silva e João Pereira de Araújo Júnior.

Mateus foi preso por policiais da DHBF no dia do crime, após ter dado entrada baleado no Hospital Geral de Bonsucesso. Ele ficou ferido em troca de tiros com a polícia durante a fuga. Os outros suspeitos continuam foragidos. Todos foram indiciados por latrocínio (roubo com resultado morte) consumado e tentativa de latrocínio .

As investações continuam para identificar outros envolvidos no crime.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários