Flávia fez denúncia por vídeo nas redes
Instagram / Reprodução
Flávia fez denúncia por vídeo nas redes

Uma professora de 26 anos identificada como Flávia Rocha usou as redes sociais nesta terça-feira (2) para denunciar abusos sexuais sofridos por ela quando era adolescente no interior da Bahia. Em um vídeo com pouco mais de oito minutos, Flávia narrou alguns dos abusos sofridos por ela na infância e adolescência. "Hoje eu tenho 26 anos e ainda dói bastante", desabafou.

A professora, que na infância morava com a mãe em uma casa de terreno compartilhado com a casa da avó, disse que era deixada dormindo na residência quando a mulher ia à praça ver televisão. "Enquanto ela assistia às novelas, os abusos aconteciam no sofá da minha avó, na sala. Meus dois tios. Eu lembro vinha um... fazia o que queria e depois vinha o outro. E eu ali sem entender, por vergonha, fingia que estava dormindo", contou Flávia.

Leia também: Homem com HIV é preso por suspeita de estuprar bebê de 1 ano

O outro abuso ocorreu quando a professora tinha 14 anos e foi cometido por um amigo da família que a abrigava em uma cidade vizinha para que ela fizesse um curso de informática. O relato de Flávia afirma que ela, junto com amigas, foi até a residência do amigo da família algumas vezes, mas ela só foi molestada algum tempo depois enquanto dormia. O mesmo homem, no ano seguinte, teria cometido um estupro contra a vítima. "Eu fiquei sem reação, parada, com vergonha, fingi que estava dormindo".

Você viu?

Leia também: "Até quando homens vão fazer isso", diz jovem sequestrada por 8h e estuprada

"Só vim entender o que tinha acontecido comigo depois dos 18 anos e mesmo assim, continuei calada, por vergonha", afirmou. Flávia só decidiu falar à família sobre os abusos sofridos quando a irmã dela denunciou que tinha sido estuprada pelo próprio tio.

Um Boletim de Ocorrência feito por Flávia, pela irmã dela e por mais uma vítima da família foi registrado na delegacia de Ipiaú, também no interior da Bahia. A polícia investiga o caso. Veja, abaixo, relato da vítima. Aviso: a narração dos crimes é um conteúdo sensível.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários