projéteis na mão de pessoa
Redes sociais
Estilhaços de bala perdida atingiram bebê que estava no colo da mãe

Morreu, na madrugada desta quinta-feira (23), a mulher que foi baleada com o bebê de dois meses no colo, no último dia 12, no Parque das Missões, em Duque de Caxias, Baixada Fluminense. Roberta Leite Neves, de 41 anos, estava com o filho, quando foi atingida, durante um tiroteio entre bandidos e policiais militares na Linha Vermelha. A mulher estava internada no Hospital Municipal Dr. Moacyr Rodrigues do Carmo, onde foi socorrida. O bebê de dois meses foi atingido por estilhaços e segue internado no Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna. Seu estado é estável.

Leia também: Idoso mata mecânico após se irritar com som alto no Mato Grosso

Segundo a direção do Hospital Moacyr do Carmo, Roberta foi atingida na região abdominal e deu entrada já em estado grave. Ela foi operada e, dia 19, passou por uma nova cirurgia. Após o procedimento, o quadro clínico de Roberta se agravou e ela foi encaminhada para o CTI da unidade.

Segundo uma testemunha que foi ouvida pela 59ª DP (Duque de Caxias), responsável pela investigação, Roberta estava com a criança e familiares na porta de casa, na comunidade Parque das Missões, celebrando a Páscoa. Ao ouvirem os tiros, houve correria para dentro do imóvel, mas a mulher e a criança acabaram sendo atingidas.

Leia também: Homem algemado furta viatura da PM no Rio de Janeiro

"Eles chegaram atirando do nada. Foi tudo muito rápido", disse outra testemunha. A Polícia Militar afirmou que houve uma ação do Batalhão de Choque na Linha Vermelha quando, na altura do Parque das Missões, e que criminosos atiraram contra os policiais e fugiram em seguida. Ainda segundo a corporação, no local, foram apreendidos um fuzil e uma quantidade de drogas.

Um dia após a ação da PM no Parque das Missões, a Polícia Civil informou que solicitaria a perícia das armas dos policiais militares do Batalhão de Choque que participaram do confronto com criminosos na Linha Vermelha. Disse ainda que também iria requerer a perícia do fuzil apreendido pelos PMs. O EXTRA entrou em contato com a Polícia Civil para saber sobre as investigações, mas ainda não teve resposta.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários