Agência Brasil

O secretário Estadual de Segurança Pública do Espírito Santo, Roberto Sá, declarou em entrevista coletiva, na tarde de hoje (14), que sete suspeitos de terem participado da onda de violência na zona sul de Vitória foram detidos.

Leia também: Bandidos queimam ônibus e fecham lojas nas ruas de Vitória

Soldados em Vitória, Espírito Santo
Tânia Rêgo/Agência Brasil - 13.2.17
Soldados em Vitória, Espírito Santo


A motivação da “ onda de terror ”, como classificou Roberto Sá, foi o assassinato de Caio Mateus Silva Santos, de 17 anos, que mantinha envolvimento com o tráfico de drogas. Segundo o secretário, o jovem foi morto durante uma operação realizada durante madrugada, no Complexo da Penha. O jovem foi levado ao hospital horas mais tarde, por volta de 8h30 da manhã, mas não resistiu aos ferimentos.

Os ataques forçaram lojistas a fecharem o comércio. Um ônibus do transporte público foi incendiado. De acordo com o secretário, os bandidos usaram fogos de artifício e disparam contra carros estacionados no local.

O bairro da Penha, um dos acessos ao morro onde a operação foi realizada, está sob ocupação policial desde o dia 5 de fevereiro. Segundo o comandante-geral da Polícia Militar do estado, coronel Márcio Eugênio Sartório - que também participou da entrevista coletiva -, a ocupação também pode ter contribuído para a ação criminosa.

Leia também: Entidades pedem esclarecimento de assassinato de Lourenço Vera

Mais cedo, o governado do Espírito Santo , Renato Casagrande, afirmou em rede social que “a polícia atuará com mais força ainda”, citando a intensidade do ataque criminoso.

A polícia militar usa helicópteros e viaturas para monitorar a situação na zona sul da capital. Roberto Sá disse que, caso os ataques continuem, a Força Nacional poderá ser requisitada para intervir na segurança pública do estado

    Veja Também

      Mostrar mais