Polícia Militar do Paraguai faz buscas em torno do presídio em Pedro Juan Caballero arrow-options
Reprodução/Twitter
Polícia Militar do Paraguai faz buscas em torno do presídio em Pedro Juan Caballero, onde houve a fuga de 91 membros do PCC

O governo do Paraguai informou na tarde desta segunda-feira (20) que conseguiu recapturar um fugitivo da Penitenciária Regional de Pedro Juan Caballero. O paraguaio Sabio Darío González Figueredo, encontrado em uma residência no entorno da unidade prisional, foi o segundo dos 76 foragidos a ser detido novamente após a fuga em massa do último domingo (19).

Hoje mais cedo,  o Departamento de Operações de Fronteira (DOF) da Polícia Militar (PM) do Mato Grosso do Sul já havia conseguido prender um dos homens envolvidos na ação . O homem detido tem 30 anos e é da cidade de Imperatriz, no Maranhão. Ele foi abordado por agentes na fronteira e, durante o depoimento confessou que fugira da penitenciária no Paraguai.

Ainda segundo o DOF, o acusado cumpria pena por tráfico de drogas e estava preso há quatro anos. Ele foi encaminhado à Delegacia da Polícia Civil de Ponta Porã. Na fuga, os criminosos utilizaram um túnel construído a partir de um dos banheiros das celas. Cinco caminhonetes utilizadas na fuga foram encontradas incendiadas em Ponta Porã, a uma avenida de distância de Pedro Juan Caballero. Apenas um prisioneiro foi impedido de sair da unidade.

Leia também: Após fuga de presos do PCC, fronteira com Paraguai tem policiamento reforçado

As informações iniciais eram que 75 prisioneiros fugiram, mas o valor foi corrigido para 76 e, desse total, 40 são brasileiros .

Segundo o ministro do Interior paraguaio, Euclides Acevedo, não está descartada a possibilidade de que a fuga foi facilitada por funcionários do presídio. O túnel, ainda de acordo com Acevedo, pode ter servido de fachada para a fuga.

Em entrevista coletiva, a ministra da Justiça do Paraguai, Cecília Pérez disse que o governo chegou a identificar um suposto plano de fuga em dezembro do ano passado e a suspeita é que os membros do PCC tenham oferecido US$ 80 mil (R$ 332.952,00) a agentes penitenciários e policiais.

    Veja Também

      Mostrar mais