Tamanho do texto

Após morte de 3N e outros cinco comparsas em operação policial, segurança foi reforçada na cidade de São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio

homem com roupa do flamengo arrow-options
Redes sociais / Reprodução
3N foi morto durante operação policial

Dias após a libertação do traficante Rabicó, a Polícia Civil do Rio de Janeiro realizou uma operação que matou o traficante Thomas Jayson Vieira Gomes, conhecido como 3N, em São Gonçalo, no Rio de Janeiro, nessa terça-feira (26). Segundo os oficiais, ele era o traficante mais procurado do estado.

3N estava escondido há cerca de dois meses em um sítio na região de Itaboraí, a cerca de 20 km do local comandado por ele em São Gonçalo. A família que morava no sítio foi “expulsa” do lugar após intimidação de parceiros do traficante . A polícia chegou até o local após uma série de denúncias anônimas.

Leia também: Tráfico manda retirar câmeras dos ônibus e define regras para motoristas no Rio

Segundo a polícia, os oficiais foram recebidos com tiros no local. O confronto terminou com o traficante e todos os comparsas dele mortos. Apenas um caseiro de uma casa vizinha, que não tinha envolvimento com a quadrilha, sobreviveu e foi encaminhado para depoimento.

No sítio, foram encontrados fuzis, pistolas, munições, coletes à prova de bala e até mesmo granadas . Bebidas e energéticos também foram achados no local. Segundo vizinhos, o grupo passou dias seguidos comemorando com festa e música alta.

Leia também: Libertação do traficante 'Rabicó' pode detonar guerra entre facções no Rio

O nome de 3N voltou aos holofotes após a liberação do traficante Rabicó, um de seus maiores rivais que comanda o tráfico no complexo do Salgueiro. A preocupação das forças de segurança com a liberdade do traficante de 55 anos era que a disputa pelo comando do crime no local gerasse confrontos e mortes.