Revolver da taurus
Reprodução
Revólver estava carregado e com munições intactas, mas não efetuou disparo.

A fabricante de armas Taurus foi condenada pela justiça de Goiás a indenizar uma Policial Militar em R$ 20 mil após um de seus produtos falhar durante a tentativa de reação a um assalto, em Goiânia.

O juiz responsável pelo caso, Eduardo Perez Oliveira, disse ao G1 que a oficial só não morreu por 'intervenção de Deus e seu treinamento'. 

Leia mais: Homem que gravou vídeo nu na frente dos filhos é indiciado por pornografia

O caso aconteceu em 27 de fevereiro de 2017, quando a militar seguia a pé para a casa da mãe. Um assaltante, em uma moto, abordou a policial, quando ela sacou a arma, modelo 24/7.40 e tentou atirar. No entanto,nenhum disparo foi feito.

O revólver estava carregado e com munições intactas. A policial sofreu lesões no polegar esquerdo após repetidas tentativas de disparar contra o assaltante.

Leia também: Homem atira na cabeça de noiva e se mata no interior de São Paulo

A vítima mostrou em juízo que a arma possuía vícios de fabricação. De acordo com informações apuradas pelo G1, a empresa afirmou que a falha deve ter ocorrido por falta de manutenção. 

Em contrapartida, a sentença do caso disse que 'arma de fogo, remédio, freio de carro e preservativo são itens que não admitem uma 'margem segura' de erro, pois sua falha pode significar risco à integridade física dos consumidores'.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários