Menina Ágatha Vitória foi atingida com tiro de fuzil nas costas
Arquivo pessoal
Menina Ágatha Vitória foi atingida com tiro de fuzil nas costas


As investigações sobre a morte da menina Ágatha Vitória Félix por um tiro disparado pela polícia no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, podem ganhar uma reviravolta. De acordo com a revista Veja , entre dez e vinte policiais estiveram no Hospital Getúlio Vargas, para onde a vítima foi levada, horas após o incidente. O objetivo era levar a bala que matou a estudante antes que a mesma fosse encaminhada para a Polícia Civil.

Leia também: PM que participou de reconstituição é suspeito de ter dado tiro que matou Ágatha

Segundo a revista, os policiais foram impedidos pela equipe médica de levarem o projétil. O procedimento, nos casos de assassinato por arma de fogo, é que a bala retirada do corpo da vítima seja encaminhada para a Polícia Civil, responsável por apurar os crimes. Foi o que o hospital fez no caso de Ágatha .

Na última terça-feira (1) houve uma reconstituição do crime no Complexo do Alemão . Dos cerca de 20 policiais que participavam da operação naquela noite, apenas três se apresentaram voluntariamente para a simulação.

Leia também: Caso Ágatha: após recusa, PMs decidem colaborar na reconstituição do crime

Ágatha Vitória Félix foi morta na noite do dia 20 de setembro, com um tiro nas costas dado por um dos policiais que fazia uma operação contra o crime organizado no Complexo do Alemão. Um inquérito foi aberto para apurar as circunstâncias da morte.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários