Tamanho do texto

A produção, distribuição e venda de cocaína, crack, maconha e skank na Zona Leste de São Paulo sofre um "ippon" dado pela ROTA. A população agradece

Pelotão de viaturas de ROTA saindo do seu Quartel e dando início a uma patrulha. Ao chegar na área designada, as viaturas se separam e operam individualmente, mas sempre  em proximidade e em contato em caso de necessidade de apoio
foto: Major PM Luis Augusto Pacheco Ambar
Pelotão de viaturas de ROTA saindo do seu Quartel e dando início a uma patrulha. Ao chegar na área designada, as viaturas se separam e operam individualmente, mas sempre em proximidade e em contato em caso de necessidade de apoio

O resultado de um patrulhamento ostensivo em área de alto risco, depende muito da experiência, técnica e instinto dos Policiais que estão operando no local. O Sargento PM de ROTA Salvador possui essas três características, e o resultado da sua patrulha desta terça-feira (15) não poderia ter sido outro: o tráfico perdeu uma refinaria completa de drogas e três traficantes foram presos. Até que nosso sistema legal os solte em breve, como é o caso de dois destes criminosos.

Leia também: Um dia na vida de um Policial de ROTA

A função primária das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar é se fazer presente nos locais com os maiores índices de violência, desenvolvendo ações preventivas e ativas de combate ao crime. Diferente de outros estados do país, em São Paulo não existem áreas onde o crime proíbe a Polícia de entrar. A ROTA acessa qualquer cidade, bairro, rua ou viela, sempre que precisar, e no momento que julgar necessário.

ROTA 91285 - 15 de maio, 15hs

Por volta das 15hs, a viatura 91285 da ROTA, comandada pelo Sargento Salvador, rodava por perto de uma comunidade no bairro Teotônio Vilela, Zona Leste de São Paulo, quando ele e sua Equipe, formada pelo também Sargento PM Sampaio e pelos Cabos PMs Cristiano e Aquino, perceberam uma movimentação diferente.

Além da boina preta (próxima foto, abaixo), a outra característica única dos PMs de ROTA é o icônico braçal negro de couro com as letras em metal dourado e o brasão da Batalhão Tobias de Aguiar
foto: Major PM Luis Augusto Pacheco Ambar
Além da boina preta (próxima foto, abaixo), a outra característica única dos PMs de ROTA é o icônico braçal negro de couro com as letras em metal dourado e o brasão da Batalhão Tobias de Aguiar

O sexto sentido de Salvador foi ativado e ele deu ordens para que sua viatura parasse e que todos desembarcassem.

“Nesse local existe um conhecido ponto de tráfico que é muito difícil de fechar em função das inúmeras áreas de escape compostas por minúsculas vielas e pela ação dos olheiros. Qualquer aproximação Policial é facilmente detectada. Mas dessa vez foi diferente e o golpe no crime foi pesado”, explica o Tenente PM de ROTA Sigari, comandante do Pelotão (unidade operacional composta por quatro a seis viaturas) ao qual a Equipe de Salvador está subordinada.

A visão de quatro PMs de ROTA, saindo de sua viatura, surtiu efeito imediato: algumas das pessoas que estavam nas imediações correram para dentro da comunidade, se misturando com a população local. Os Policiais optaram então por usar uma tática de progressão a pé mais lenta, para evitar o confronto, e mantendo a segurança e integridade física dos moradores.

Essa técnica mais vagarosa de deslocamento, intensivamente treinada, permitiu que os PMs pudessem observar pequenos movimentos, detalhes e situações que fugissem do normal, a medida que ingressavam pelas ruas estreitas e vielas. O resultado desse procedimento foi muito melhor que o esperado.

Leia também: ROTA dá recado duro: Em São Paulo o crime organizado sempre vai perder

Central de produção de drogas

Ao passar por um conjunto de pequenos sobrados, os PMs perceberam um rapaz, no segundo andar de uma das casas, fechando uma porta. Os Policiais imediatamente se dividiram e entraram em ação.

Policias Militares de ROTA em patrulhamento em área de alto risco
foto: Major PM Luis Augusto Pacheco Ambar
Policias Militares de ROTA em patrulhamento em área de alto risco

Os que subiram as escadas encontraram um centro completo de produção de drogas, repleto de entorpecentes, equipamentos para refino e material de embalagem.  Os PMs que foram para trás do sobrado, voltaram com três traficantes presos que haviam pulado por uma janela para tentar a fuga, incluindo o que havia fechado a porta.

“A Equipe do Sargento Salvador desestruturou o tráfico local. Essa refinaria abastecia vários centros de distribuição com maconha, crack, cocaína e skank, que por sua vez forneciam essas drogas para os pequenos traficantes das biqueiras venderem aos consumidores finais. O fechamento de uma refinaria é um golpe pesado num ponto crítico do ciclo da droga”, relata o Tenente Sigari.

De fato, achar um novo local para montar outra refinaria não é um processo fácil para o tráfico. O proprietário deste sobrado tomado pela ROTA, será intimado pela Polícia e no mínimo terá uma enorme dor de cabeça para explicar o uso do seu imóvel pelo tráfico. Ele pode ter sua casa confiscada e até ir preso. Esse é um recado bastante potente e didático para outros donos de imóveis, que vão pensar muito antes de correr o risco de alugar seus bens para o crime.

Leia também: COE, tropa de elite da PMSP, faz demonstração de força contra o crime

Além das drogas e das prisões, a Equipe 91285 apreendeu um carregador de pistola 9mm, 45 munições, balanças de precisão, produtos químicos, embalagens, vários equipamentos de refino e farto material de inteligência, incluindo o livro caixa do tráfico detalhando as quantidades e valores do comercio da morte, assim como indicações que podem levar aos grandes fornecedores e distribuidores da região.

Estes tijolos de maconha, que contém lixo vegetal e esterco para render mais, estavam sendo fracionados para envio aos centros de distribuição. Note o cigarro de maconha no canto inferior esquerdo da mesa: esses traficantes da morte  quebram uma das suas principais regras  de não consumir o lixo que eles vendem
foto: ROTA / Divulgação
Estes tijolos de maconha, que contém lixo vegetal e esterco para render mais, estavam sendo fracionados para envio aos centros de distribuição. Note o cigarro de maconha no canto inferior esquerdo da mesa: esses traficantes da morte quebram uma das suas principais regras de não consumir o lixo que eles vendem
Dentro da sacola de papelão à esquerda, foi encontrado um caderno preto, um dos grandes prêmios desta apreensão. Sem tempo de reagir os criminosos deixaram para trás o livro caixa do tráfico contendo detalhes de quantidades, valores, nomes e locais ligados ao comércio da morte. Note as péssimas condições de higiene do local
foto: ROTA / Divulgação
Dentro da sacola de papelão à esquerda, foi encontrado um caderno preto, um dos grandes prêmios desta apreensão. Sem tempo de reagir os criminosos deixaram para trás o livro caixa do tráfico contendo detalhes de quantidades, valores, nomes e locais ligados ao comércio da morte. Note as péssimas condições de higiene do local

Todo material apreendido, também será analisado pelo Setor de Inteligência da ROTA para que, no momento que o comando do Batalhão Tobias de Aguiar julgar adequado, lançar operações cirúrgicas, ou ações de grande porte, contra alvos pré-determinados.

“Duas coisas sempre chamam a atenção quando encontramos essas refinarias. A primeira é a total falta de higiene e o ambiente insalubre onde as drogas são preparadas e embaladas. Além dos equipamentos de manipulação serem sujos e enferrujadas, e de insetos e ratos circularem pelo local, todo lixo produzido pelos criminosos é mantido e acumulado dentro da refinaria para não chamar a atenção da Polícia que está patrulhando do lado de fora. A própria condição de saúde dos criminosos que manipulam as drogas, muitas vezes é precária”, diz Sigari.

Leia também: E se terroristas decidissem atacar São Paulo? O GATE resolve

“A segunda coisa que  sempe nos impressiona, são os elementos misturados nas drogas que encontramos nesses lugares. No caso da produção de cocaína é comum acharmos frascos de morfina, lidocaína e neocaína, usados pelos traficantes para gerar um forte torpor no usuário com objetivo de simular que o produto é puro. Ainda no caso da cocaína, também encontramos pó de vidro para dar brilho à droga, passando a falsa aparência visual de pureza. Já no caso da maconha, achamos todo tipo diluidores, como restos de lixo vegetais e até mesmo esterco, para multiplicar o volume da droga original e gerar mais produto para venda. Isso tudo entra no corpo do usuário, junto com a droga, fazendo uma verdadeira devastação na saúde da pessoa”, finaliza o Tenente PM de ROTA Sigari.

Veja abaixo o video feito pela ROTA no local da apreensão


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.