undefined
foto: Major PM Luis Augusto Pacheco Ambar
Conhecidos como "Caveiras", os Policiais Militares do COE são uma Tropa de elite da PM paulista

Em São Paulo não existem locais proibidos para a Polícia Militar patrulhar ou desenvolver operações de combate ao crime. Nossos PMs acessam qualquer lugar, a qualquer momento e permanecem pelo tempo que julgarem necessário. Uma das unidades da PM que coloca essa doutrina em prática diariamente é o Comandos e Operações Especiais, COE.

Leia também: Comandos e Operações Especiais - Conheça a tropa de elite da PMSP

O COE é uma Tropa de elite da Polícia Militar paulista desenhada para resolver situações de crises complexas e de alta periculosidade que exigem treinamentos, equipamentos e táticas altamente especializados. Estes fantasmas verdes são habilitados a operar em terra, ar e mar, de dia e de noite, e em qualquer tipo de clima. Para se tornar membro desta restrita unidade o recruta deve passar por um duríssimo curso de 2 meses composto por testes físicos, psicológicos, operacionais e acadêmicos. Para se ter uma ideia do rigor desse processo, dos cerca de 200 inscritos, menos de 10% se formam e adquirem o direito de serem chamados de “Caveira”, o título não oficial dos PMs do COE.

undefined
foto: André Jalonetsky
Além das operações em mata e selva, o Comandos e Operações Especiais também desenvolve patrulhas em áreas urbanas de alto risco

Além da sua conhecida atuação em áreas rurais de mata e selva, as demandas Policiais dos últimos anos fizeram com que o COE também se especializasse no combate ao crime urbano em áreas de alto risco, para atacar e desestruturar o tráfico de drogas e contrabando de armas, e os crimes associados a essas atividades como roubos e assaltos.

Para isso o Comando do COE passou a intensificar a frequência de suas ações urbanas, conduzindo quase que diariamente dois tipos de operações: 1) Patrulhas preventivas de presença e visibilidade ostensiva ( como a Operação Heliópolis ) que tem como objetivos negar território e liberdade de ação à criminalidade; demonstrar a presença contínua da Polícia Militar e levar tranquilidade para a população das comunidades. 2) Ações desenhadas com antecedência, que nascem do trabalho da área de inteligência e de denúncias anônimas, ( como a Operação da Mauro ) que visam a neutralização de alvos previamente designados e conhecidos. Todas as operações do COE possuem uma característica comum: são executadas sem divulgação nem alarde. Além de manter o fator surpresa a seu favor, o silêncio é uma característica operacional histórica dos “Caveiras”.

Operação Frei Albeville

Um recente exemplo dessas ações de repressão imediata e contínua contra os crimes de maior gravidade ligados às drogas, foi conduzida pelo Capitão PM Zóquio e as equipes sob seu comando, ao atacar e fechar um ponto do tráfico na Rua Frei Claude Albeville, Zona Oeste de São Paulo.

undefined
foto: Google Maps
Rua Frei Claude Albeville, Zona Oeste de São Paulo, local onde a prisão e apreensão foram feitas

Às 14hs desta segunda-feira (20) eu saí da Base do COE liderando quatro patrulhas compostas por 20 Policiais Militares em direção à Comunidade João XXIII. Nosso alvo primário era a captura de um traficante foragido da Justiça que havia sido denunciado pela população local. Deflagramos essa operação num fim de semana com feriado, pois o número dos ‘fluxos’ (denominação informal dos bailes funks ) aumentam muito, e os traficantes contam com a possibilidade de incrementar a venda das drogas. Ao chegar no local, dividi as equipes e imediatamente iniciamos uma rápida incursão à pé pelas ruas, vielas e becos da Comunidade, usando ao máximo a surpresa e a velocidade, para evitar que os olheiros avisassem os traficantes da nossa chegada”, explica o Capitão PM Zóquio.

undefined
foto: COE / Divulgação
Operação Frei Albeville - Suspeito de tráfico sendo conduzido para carceragem por Policiais Militares do COE

“Quando uma das minhas patrulhas chegou na altura do número 100 da Rua Frei Claude Albeville, nossos Policiais avistaram dois indivíduos suspeitos. Em questão de segundos ficou evidente que eram traficantes que operavam uma ‘biqueira’ (nome dado ao ponto de venda de drogas). Nossa ação foi imediata e enérgica: efetuamos o procedimento padrão de abordagem, revista pessoal e vistoria do local.

Encontramos 1 tijolo de maconha, 239 invólucros de maconha, 5 frascos de lança-perfume e R$186,00 em espécie. Os dois criminosos foram presos e conduzindos ao 89° Distrito Policial e esse ponto de vendas foi definitivamente fechado.

"Os traficantes do atacado, que controlam o comércio local de drogas da Comunidade João XXIII, sabem que essa biqueira foi ‘queimada’ pois esse local entrou no nosso radar e será verificado em todas as nossas futuras e frequentes operações nessa área”, termina o Capitão PM Zóquio.

undefined
COE / Divlgação
Operação Frei Albeville - Apreensão de drogas e dinheiro

Além do COE, o tráfico possui um outro inimigo mortal e invisível: a população das Comunidades. Confiando e reconhecendo a eficiência dos PMs do Comandos e Operações Especiais, a esmagadora maioria das pessoas de bem, cansadas de serem aterrorizadas pelo crime, ajudam muito o trabalho dos "Caveiras" ao constantemente fazer denuncias anônimas dos locais onde as drogas e os traficantes de escondem.

Leia também: E se terroristas decidissem atacar São Paulo? O GATE resolve

Ao executar suas missões furtivas e imprevisíveis, os fantasmas verdes do COE instalam medo e insegurança tanto no varejo e atacado do tráfico, como nos criminosos que orbitam esse comércio da morte. Esses verdadeiros terroristas urbanos podem se acostumar com a ideia que serão combatidos e presos pelos Policiais Militares do COE.

    Veja Também

      Mostrar mais