.
Reprodução
Ele depositou fiança de US$ 30.000 na tarde de terça-feira e foi solto


Um ex-capitão da polícia de Houston, nos EUA, foi acusado na terça-feira (15) de tirar um homem da estrada e apontar uma arma para sua cabeça por acreditar que ele era "mentor de uma fraude eleitoral gigante". A informação é da promotoria do condado de Harris.

Em 19 de outubro, Mark Anthony Aguirre, 63, teria batido com seu veículo na carroceria do caminhão de um homem e, quando ele saiu, Aguirre apontou uma arma, jogou-o no chão e colocou o joelho nas suas costas. O momento foi registrado por uma câmera de vigilância da polícia local.


Aguirre disse às autoridades que observou o homem por quatro dias. Ele suspeitava que havia 750 mil cédulas de votação fraudulentas dentro do seu veículo e que o homem era "o mentor de uma fraude eleitoral gigante".

Na verdade, a vítima era um técnico de ar-condicionado "inocente e comum", disseram os promotores. As autoridades não encontraram cédulas dentro do veículo, apenas peças e ferramentas.

Após uma investigação, a polícia de Houston disse que considerou as alegações de fraude eleitoral "infundadas" e encaminhou o caso ao gabinete do procurador do distrito.

Aguirre foi preso na terça-feira e é acusado de agressão agravada pelo uso de arma de fogo, um crime de segundo grau punível com até 20 anos de prisão. Ele depositou fiança de R$ 150 mil  e foi liberado. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários