O médico foi visto removendo roupas de proteção antes de cuspir em três imagens
Twitter/Reprodução
O médico foi visto removendo roupas de proteção antes de cuspir em três imagens


Um médico israelense foi demitido depois de cuspir em retratos de Jesus , enquanto visitava uma casa cristã para fazer um teste de Covid-19. Quando confrontado, ele afirmou que as imagens eram uma forma de idolatria proibida pela bíblia hebraica.


O incidente aconteceu no domingo (15), quando o médico foi ao quarteirão - cujos moradores são todos cristãos , segundo relatos da mídia. As imagens de uma câmera de segurança mostram o suspeito removendo a máscara e o macacão antes de se virar e cuspir três vezes consecutivas.

Ele, então, é visto colocando sua máscara de volta e entrando em um elevador. Ao sair do prédio, o médico foi confrontado pelo morador que filmou a conversa em um celular . Quando o inquilino perguntou por que ele cuspiu nas fotos, o funcionário demitido respondeu: "Isso é adoração estrangeira."

O vídeo mostra o  homem protestando contra o médico, dizendo-lhe: "Você cuspiu nas minhas imagens, nas quais acreditamos, diante dos meus olhos. Por que você fez isso?". O médico responde: "Em nossa Torá está escrito que, tanto quanto possível, a adoração estrangeira deve ser mantida longe".

Em um tweet, o Serviço de Ambulâncias de Israel disse que "condena veementemente" as ações e que o ex-funcionário era " indigno de representar a organizaçã o".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários