.
FreePick/Divulgação
De acordo com o estudo, da perspectiva dos exoplanetas, os alienígenas devem enxergar pequenos pontos de luz


Astronômos identificaram cerca de 1.004 estrelas parecidas com o Sol que, além de oferecerem a possibilidade da existência de  planetas parecidos com o nosso em suas órbitas, podem  abrigar populações alienígenas , capazes de detectar sinais de vida por aqui. A descoberta será publicada na revista científica Royal Astronomical Society.


A hipótese foi levantada por pesquisadores da Universidade de Cornell, nos EUA. Usando o catálogo de estrelas do Transiting Exoplanet Survey Satellite (TESS) e o mapa estelar de Gaia, eles calcularam que essas estrelas - do tipo anãs vermelhas, as menores e mais frias do universo - estão a 326 anos-luz da Terra . "Se há observadores procurando lá fora, eles serão capazes de ver sinais na atmosfera da nossa 'imensidão azul'", disse a astrônoma Lisa Kaltenegger. 

Para localizar a Terra, os "astrônomos" desses exoplanetas precisariam usar as mesmas técnicas que usamos para catalogar um objeto distante: observar enquanto a Terra passa na frente do Sol para descobrir a composição da atmosfera do nosso planeta, conhecida como observação de trânsito. A eclíptica da Terra, ou o plano da órbita da Terra em torno do Sol, é crucial para descobrir quais exoplanetas podem nos ver

"Apenas uma pequena fração dos exoplanetas estará alinhada aleatoriamente com nossa linha de visão para que possamos vê-los em trânsito", afirmou o físico Joshua Pepper, da Lehigh University. "Mas todas as mil estrelas que identificamos na vizinhança solar puderam ver nossa Terra transitar pelo Sol , chamando sua atenção."

O telescópio espacial TESS já provou ser fenomenalmente útil nesse quesito:  ele tem estado ocupado identificando nossos vizinhos no espaço e resolvendo mistérios sobre o nosso Sistema Solar.

Por enquanto, os pesquisadores acham que seu trabalho pode ser usado para restringir a busca por vida extraterrestre no futuro - se quisermos encontrar exoplanetas que possam ter nos localizado, assim como nós os localizamos, por exemplo. "Se encontrarmos um planeta com uma biosfera vibrante, ficaríamos curiosos para saber se alguém está ou não olhando para nós também", declarou Kaltenegger.

"Se estamos procurando por vida inteligente no universo, que pode nos encontrar e pode querer entrar em contato, acabamos de criar o mapa estelar de onde devemos olhar primeiro."


    Veja Também

      Mostrar mais