undefined
shutterstock
Em nota, a Emirates informou que a mulher foi retirada do voo porque aquela era uma "emergência médica"


Uma mulher de 24 anos relatou ter sido expulsa, junto de seu namorado, de um voo da companhia aérea Emirates após uma comissária escutá-la falar sobre suas cólicas menstruais. De acordo com o The Washington Post , o caso aconteceu na manhã do último sábado (17), em um voo que partiria de Birmingham, na Inglaterra, com destino a Dubai.

Leia também: Mulher choca passageiros ao secar calcinha na ventilação de um avião; assista

Beth Evans e o namorado, Joshua Moran, estavam conversando sobre as cólicas menstruais dela quando uma comissária escutou o diálogo. A funcionária se mostrou “preocupada com a saúde da mulher”, por mais que ela tenha classificado sua dor como “nível 1, em uma escala de 1 a 10”.

Pouco tempo antes do horário marcado para a decolagem, os dois foram retirados do avião. “Beth começou a chorar e ficou muito chateada quando a comissária lhe fez várias perguntas. É desconfortável ter que explicar sobre dores menstruais quando outras pessoas estão ouvindo”, Moran disse ao The Sun.

Leia também: Indiana corta e 'descarta' pênis do marido por desconfiar que está sendo traída

Resposta da Emirates

A companhia aérea disse, em nota, que a mulher foi retirada do voo por causa de uma “emergência médica”. “A passageira alertou à equipe a bordo que estava desconfortável e sentindo dores. O capitão decidiu requisitar suporte médico e retirou a passageira  do voo, para, assim, ela ter acesso ao atendimento que precisava".

"A segurança de nossos passageiros e tripulação é de importância primordial, e não iríamos colocar a senhorita Evans em perigo ao atrasar a ajuda médica de que precisava durante um voo de sete horas até Dubai”. A Emirates finalizou dizendo que espera que a mulher esteja se sentindo melhor, e também que aguardam para recebê-la novamente em um de seus voos.

Leia também: Amigos se vestem de "gigante" para ver Pantera Negra com um ingresso só; assista

O casal, no entanto, disse que não entrou em contato com a equipe para falar das cólicas em questão. Para Evans, não haveria problemas em ficar seis horas e meio no voo, mas como ela e o namorado foram retirados do avião, teriam que pagar 350 dólares cada para remarcar a viagem.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários