Tamanho do texto

É preciso ter estômago, coragem... E ser aberto para encarar o corpo humano visto de uma forma sem filtros. Conheça a página que quer 'quebrar tabus'

Em conta do Instagram, patologista norte-americana divide dia a dia da profissão e causa polêmica
Reprodução/Instagram - 14.02.2017
Em conta do Instagram, patologista norte-americana divide dia a dia da profissão e causa polêmica

A patologista Nicole Angemi , de 35 anos, passa todo o seu dia cortando, remexendo e estudando diferentes órgãos e partes do corpo humano, que são retirados para autópsias. Até aí, nada de novidade, já que a profissão é seguida por milhares de pessoas em todo o mundo. Contudo, sua história se tornou notícia por causa da conta do Instagram que revela um “pouco” de sua rotina.

LEIA MAIS: Com 500 quilos, mulher mais gorda do mundo passa por cirurgia bariátrica

É preciso ter estômago, coragem e, no mínimo, estar aberto para encarar o corpo humano visto de uma forma sem filtros – ou, como defendem alguns, um tanto quanto mórbida – na conta do Instagram de Nicole. Sangue não falta nas imagens, mas a ideia de compartilhar tal conteúdo, de acordo com a profissional, seria exatamente isso: ela deseja combater o “tabu” que existe em relação à morte e às doenças através de fotos, vídeos e explicações suas.

Segundo afirma, a ideia de compartilhar fotos no aplicativo é “ajudar a educar as pessoas”. Aliás, tal missão é realizada por ela não só no mundo off-line, mas também no “mundo real”, uma vez que é professora.

“Queria ensinar às pessoas, mostrar ao mundo a verdade sobre a morte, a vida e as doenças. Mas, às vezes, é difícil lidarem com as minhas fotos”, contou a patologista, formada há 10 anos.

LEIA MAIS: "De quem é o rosto?": jovem acha foto de seu corpo com outra cabeça no Instagram

Com um total de um milhão de seguidores, a americana apaixonada pela profissão contou ao site “NJ” que ainda se lembra do dia em que descobriu que gostaria de seguir carreira: quando encontrou um refrigerador cheio de pernas amputadas.

Agora, com mais de 50 mil amostras e 1.000 autópsias no currículo, a americana do estado de Nova Jersey lida com a vida de celebridade da internet – praticamente uma estrela de rock para os profissionais assistentes.

It's a belly button!

Uma publicação compartilhada por Nicole Angemi, MS, PA (ASCP) (@mrs_angemi) em

Para aqueles curiosos, é possível encontrar de tudo um pouco na conta da patologista: cabeças abertas e cérebros expostos, mãos cortadas, pés cinzentos, cálculos biliares, tumores cortados, placentas, pernas amputadas... Enfim, a enumeração poderia continuar longamente.

LEIA MAIS: "Viciado em masturbação", português é deportado por ato em público na Inglaterra

Mas, se engana que é só de sangue e partes de corpos humanos que “vive” uma das contas mais controversas do Instagram: a norte-americana também compartilha coisas... fofas, como, por exemplo, algumas fotos da sua vida pessoal – e a rotina como mãe de três meninas.

    Leia tudo sobre: Instagram Aplicativo
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.