Tamanho do texto

Randal Perlman estava em condicional por fornecer maconha ao adolescente quando foi presa por abusar sexualmente do menor de idade durante um ano

Randal Perlman, 52 anos, praticava pedofilia em cemitério e trocava nudes com garoto de 15 anos  desde agosto de 2015
Divulgação/Condado de Cook
Randal Perlman, 52 anos, praticava pedofilia em cemitério e trocava nudes com garoto de 15 anos desde agosto de 2015

Uma mulher de 52 anos foi presa por manter relações sexuais com um garoto de 15 anos em um cemitério de Elgin, Illinois, nos Estados Unidos . Randal Perlman foi sentenciada a quatro anos de prisão e colocada pelo resto de sua vida no registro de criminosos sexuais após ter feito sexo com um menor de idade.

LEIA MAIS: Pedófilo de 101 anos é condenado a 13 de prisão no Reino Unido

Tudo começou em agosto de 2015. A mulher buscava o garoto em casa e o levava a locais isolados como cemitério , parques e uma escola abandonada. Nesses lugares, ela o seduzia e abusava sexualmente do garoto. Ela foi presa pela primeira vez em 2016 depois que o garoto denunciou os atos.

De acordo com jornal britânico “The Mirror”, além do ato sexual, a mulher praticava outra forma de abuso: mandava fotos pelada para ele via mensagem direta do Instagram. O adolescente retribuía o ato, respondendo com imagens de seu corpo nu.

LEIA MAIS: Britânico aproveita de sua aparência infantil para marcar encontros com menores

Em seu julgamento, Perlman afirmou que não merecia uma pena tão longa e que o juiz não estava tratando-a de forma justa. Entretanto, no momento da prisão, ela estava em liberdade condicional por fornecer maconha ao garoto o que, por ser uma má conduta envolvendo a mesma vítima, constitui fator agravante.

Cemitério

Outra mulher foi condenada por transar com um menor de idade em um cemitério. A professora substituta Kelly Aldinger, de 49 anos, foi pega em flagrante com um de seus alunos de 17 anos no estado da Pensilvânia, Estados Unidos.

LEIA MAIS: Desconfiado de traição, homem descobre que esposa armava esquema de pedofilia

A mulher, que também é mãe, esposa e líder da igreja local, manteve um relacionamento com o menino por meses. A relação deles teve início em 2015, quando o garoto tinha 16 anos. A mulher só não foi acusada de estupro porque a idade de consenso legal na Pensilvânia é 16 anos.

Aldinger foi levada sob custódia depois que um agente policial encontrou a mulher e o garoto no meio da relação, no cemitério. O flagrante aconteceu em plena luz do dia, às 13h de uma sexta-feira. A fiança para a mulher era de 50 mil dólares.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.