Olaf Scholz
Reprodução TV alemã
Olaf Scholz

Um caso envolvendo nove mulheres que participavam de uma festa do Partido Social Democrata (SPD) alemão foram drogadas com as chamadas "droga do estupro", informou o SPD à AFP neste sábado. O comício contou com presença do chanceler Olaf Scholz. Um porta-voz do partido

"A comoção é muito grande", disse à AFP , confirmando as informações do diário berlinense Tagesspiegel.

Quase mil pessoas participaram da tradicional festa do SPD antes do recesso parlamentar de verão. A polícia de Berlim informou que abriu investigação sobre casos de lesão corporal graves, após denúncia de uma jovem de 21 anos.

"Aconselho todos os envolvidos a apresentarem uma queixa", escreveu Katja Mast, chefe do SPD, no Twitter.

Até o momento, se tem conhecimento de nove vítimas, mas o partido não exclui que existam mais. Durante a festa, um das vítimas, disse que havia consumido alimentos e bebidas não alcoólicas, sentiu-se mal, enjoada e tonta. Já constam na polícia outros quatro casos registrados. 

Em nota, a polícia berlinense afirma ter sido alertada por uma jovem de 21 anos que, no dia seguinte ao evento, não se lembrava do ocorrido na noite anterior. A possível vítima foi ao hospital fazer um exame médico e registrou uma queixa.

Em um e-mail aos participantes da festa, que aconteceu na quarta-feira perto da chancelaria, o SPD considerou o caso "um ato monstruoso imediatamente denunciado à polícia do Bundestag".

"Ainda há muita incerteza, a polícia está investigando. Foi um evento interno. Só podia entrar com convite", disse o porta-voz.

Muitas vezes causando náuseas e tonturas, a "droga do estupro" refere-se a diferentes substâncias psicotrópicas que muitas vezes são despejadas nos copos das pessoas para serem abusadas por meio de violência, roubo ou agressão sexual.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários