Shopping center na região de Kremenchuk, na Ucrânia, após ataque russo
Reprodução/Telegram Volodymyr Zelensky 27.6.2022
Shopping center na região de Kremenchuk, na Ucrânia, após ataque russo

Subiu para 20 o número de mortos no bombardeio russo contra um shopping center de Kremenchuk, no centro-leste da Ucrânia.

A cidade de pouco mais de 200 mil habitantes fica na província de Poltava, que não é alvo da ofensiva da Rússia para conquistar a região do Donbass, no extremo-leste ucraniano.

"Pelo menos 20 pessoas morreram no ataque com míssil ao shopping de Kremenchuk", declarou nesta terça-feira (28) o vice-chefe do Gabinete Presidencial da Ucrânia, Kyrylo Tymoshenko.

Ainda de acordo com ele, o bombardeio da última segunda (27) também deixou 59 feridos, sendo que 25 estão internados, e há mais de 40 relatos sobre "pessoas desaparecidas que pudessem estar no local" durante o ataque.

Centenas de socorristas continuam procurando por vítimas nos escombros do edifício, que, segundo a Ucrânia, não abrigava instalações militares.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, definiu o bombardeio como "cruel", enquanto o G7 qualificou a ação como um "crime de guerra".

Além disso, o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, pediu que a Rússia seja declarada como "Estado patrocinador do terrorismo". "Somente terroristas completamente malucos, que não deveriam ter lugar na Terra, podem lançar mísseis contra edifícios civis", afirmou o mandatário.

Já Moscou negou ter atacado o shopping e disse que um de seus mísseis atingiu um "depósito onde eram estocadas armas enviadas pelos EUA e pela Europa". De acordo com a Rússia, o incêndio nessa instalação militar se propagou para o centro comercial.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários