Grupo de judeus ortodoxos foram impedidos de embarcar em voo
Reprodução
Grupo de judeus ortodoxos foram impedidos de embarcar em voo

A companhia aérea alemã Lufthansa pediu desculpas em nota por não ter permitido um grupo de judeus ortodoxos de embarcar em um voo que deixava Frankfurt rumo a Budapeste, no dia 4 de maio.

Os passageiros judeus estavam em uma viagem para visitar o túmulo de um rabino, na Hungria.

Segundo o jornal britânico The Guardian, alguns membros do grupo, que vinha de Nova York, teriam se recusado a usar máscaras dentro do avião. Todos os passageiros identificados como judeus ortodoxos pela companhia foram, então, proibidos de embarcar.

Vídeos que circulam na internet mostram os passageiros impedidos de embarcar.

"Lamentamos as circunstâncias que cercam a decisão de excluir os passageiros afetados do voo, pelo qual a Lufthansa pede sinceras desculpas. Lamentamos que um grande grupo tenha tido negado o embarque, em vez de limitá-lo aos passageiros não compatíveis", disse a companhia em nota. 

O episódio foi criticado por Uwe Becker, comissário de antissemitismo do estado de Hesse, onde fica Frankfurt.

“Este é um assunto discriminatório e não trivial. Mais uma razão para que a direção da empresa se sinta pessoalmente responsável por pedir desculpas por este incidente e assumir uma posição clara e inequívoca”, disse Becker.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

* Com informações de agências internacionais

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários