Laurent Bucyibaruta levou mais de 20 anos para comparecer ao tribunal
Reprodução: Rwanda TV
Laurent Bucyibaruta levou mais de 20 anos para comparecer ao tribunal

Laurent Bucyibaruta, um ex-prefeito de Nyamagabe, no sul de Ruanda, começou a ser julgado nesta segunda-feira (9), na França, por seu suposto envolvimento no genocídio do grupo étcnico tutsi, em 1994. Agora com 77 anos, ele é acusado de atos inalienáveis de "genocídio", "acessório ao genocídio" e de ser "cúmplice de crimes contra a humanidade".

"Ele foi uma figura importante no funcionamento do genocídio", afirmou o advogado da comunidade ruandesa na França, Richard Gisagara, que entrou com uma ação civil contra Bucyibaruta. "Como prefeito, ele representou o governo em nível local e dirigiu a gendarmaria e a segurança pública. Em 1994, houve muitos massacres na região de Gikongoro."

Segundo o jornal francês Le Monde , Bucyibaruta levou mais de 20 anos para comparecer ao tribunal. O longo envolvimento legal do ex-prefeito com o massacre começou em janeiro de 2020, com uma denúncia apresentada pela Federação Internacional dos Direitos Humanos (Fédération internationale des droits de l'homme, FIDH) e pela ONG "Survie" (francês para "sobrevivência", a associação trabalha para combater a fome e corrupção no Terceiro Mundo).

Algumas semanas depois, Bucyibaruta foi preso e encarcerado na Prisão La Santé, em Paris. Ele foi libertado em dezembro de 2000, mas colocado sob supervisão judicial. Se condenado agora, o ex-prefeito pode ser sentenciado a prisão perpétua.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários