Gustavo Petro, senador e candidato da esquerda à Presidência da Colômbia
Reprodução
Gustavo Petro, senador e candidato da esquerda à Presidência da Colômbia

A Procuradoria-Geral da Colômbia abriu nesta terça-feira (3) uma investigação formal para apurar as denúncias do candidato à presidência pela coalizão de esquerda Pacto Histórico, Gustavo Petro, de que ele seria  alvo de um atentado durante uma visita a cidades na região central do país.

Segundo comunicado formal, os investigadores "contataram os responsáveis pela segurança do senhor Gustavo Petro e as pessoas de sua campanha para obter detalhes sobre a origem das informações e levar adiante as investigações".

Os organizadores da visita de Petro a três departamentos centrais do país anunciaram, na noite desta segunda-feira (2), que estavam cancelando a viagem por "motivos de segurança" sobre o risco de um grave atentado.

"Conforme os trabalhos desenvolvidos pela equipe de segurança, que recebeu informações em primeira mão da área da visita, o grupo criminoso La Cordillera programou um atentado contra a vida do candidato à Presidência", disseram os organizadores.

Leia Também

O grupo citado é uma organização paramilitar que atua no tráfico de drogas internacional.

Petro, que também é ex-guerrilheiro e ex-prefeito de Bogotá, lidera as pesquisas de intenção de voto com cerca de 43,6% para as presidenciais de 29 de maio. Já o principal candidato da centro-direita, Federico Gutiérrez, ex-prefeito de Medellin, aparece com 26,7% das intenções.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários