Aeronaves da Rússia são interceptadas no mar Báltico e no mar de Barens
Força Aérea Real Norueguesa/Divulgação Otan
Aeronaves da Rússia são interceptadas no mar Báltico e no mar de Barens

As primeiras tropas americanas para reforçar os aliados da Otan na Europa Oriental, em meio a um aumento militar russo na fronteira com a Ucrânia, chegaram neste sábado (5) à base militar de Rzeszow, no sudeste da Polônia.

Um pequeno avião transportando o que uma fonte militar polonesa disse serem pessoas da cadeia de comando dos EUA, pousou pela manhã no aeroporto de Rzeszow-Jasionka, enquanto os preparativos continuavam na base, que fica perto da fronteira da Polônia com a Ucrânia.

Imagens de TV mostraram acomodações temporárias sendo preparadas na G2A Arena na cidade vizinha de Jasionka, enquanto trabalhadores podiam ser vistos construindo uma cerca ao redor do local.

"Como anunciado, os primeiros elementos do grupo de batalha da brigada da 82ª Divisão Aerotransportada do Exército dos Estados Unidos chegaram à Polônia", disse um porta-voz militar polonês.

Na quarta-feira, o presidente dos EUA, Joe Biden, ordenou que quase 3.000 soldados extras fossem para a Polônia e a Romênia para proteger o Leste Europeu de uma possível repercussão da crise na Ucrânia.

Leia Também

Cerca de 1.700 militares, principalmente paraquedistas da 82ª Divisão Aerotransportada, serão enviados de Fort Bragg, Carolina do Norte, para a Polônia "nos próximos dias", disseram fontes do Exército dos EUA.

De acordo com o Pentágono, um esquadrão Stryker de cerca de 1.000 militares dos EUA com base na cidade alemã de Vilseck será enviado para a Romênia. As primeiras tropas adicionais dos EUA chegaram à Alemanha na sexta-feira.

A Rússia negou planos de invadir a Ucrânia, mas enviou mais de 100.000 soldados perto das fronteiras e diz que pode tomar medidas militares não especificadas se suas exigências não forem atendidas, incluindo uma promessa da Otan de nunca admitir Kiev.

O novo plano vai além dos 8.500 soldados que o Pentágono colocou em alerta no mês passado para enviar para a Europa, se necessário. Espera-se que os ministros da Defesa da OTAN discutam mais reforços em sua próxima reunião em 16 e 17 de fevereiro.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários