Missionários dos EUA e suas famílias são sequestrados no Haiti
AFP
Missionários dos EUA e suas famílias são sequestrados no Haiti

Ao menos 17 missionários cristãos norte-americanos e suas famílias, incluindo três crianças, foram raptados por uma gangue em Porto Príncipe, capital do Haiti, neste domingo (17).

Ainda não se sabe se foi feito algum pedido de resgate, mas a embaixada dos Estados Unidos informou que acompanha o caso.

Segundo informações da mídia dos EUA, o grupo era proveniente de Ohio e foi atacado após visitar um orfanato na capital. O rapto ocorreu a cerca de 30 quilômetros do local da visita.

A mídia haitiana afirma que o sequestro foi realizado por um grupo criminoso chamado "400 Mawozo", uma gangue que se especializou em cometer crimes do tipo para ganhar dinheiro e que atua também perto da fronteira com a República Dominicana.

Leia Também

Os criminosos são os mesmos que, em abril deste ano, sequestraram um grupo de 10 pessoas, incluindo dois padres franceses.

Desde o início de 2021, o Haiti já registrou mais de 600 sequestros, conforme as organizações humanitárias que atuam no país. No ano passado, haviam sido 231. A ilha vive uma grave crise social, política e humanitária que foi se ampliando ano após ano.

Em 2021, dois episódios causaram ainda mais problemas: o assassinato do presidente Jovenel Moise por um grupo de criminosos, em julho, e um terremoto de 7,2 graus na escala Richter que destruiu uma parte do território e matou 2,2 mil pessoas em agosto. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários