Hipótese mais provável dada pelos cientistas que trabalham no zoológico aquático é de autoclonagem
Reprodução
Hipótese mais provável dada pelos cientistas que trabalham no zoológico aquático é de autoclonagem

Um zoológico aquático localizado na Itália , o Aquário de Cala Gonone, presenciou um episódio misterioso nesta semana. Um filhote de tubarão fêmea nasceu em um tanque repleto de outros tubarões fêmeas. A informação intrigou biólogos locais, que atribuíram o nascimento a um ato de autoclonagem, ou seja, o animal foi concebido de maneira assexual. As informações são do portal Uol.

De acordo com informações transmitidas pelos diretores do aquário, trata-se de uma família de tubarões da espécie cação-liso. Não há a presença de uma espécie macho no tanque onde elas habitam há 10 anos. Isso impossibilita a tese de que um óvulo tenha sido fecundado a partir de um espertmatozóide.

O processo o qual o filhote foi concebido chama-se partenogênese. Uma célula-ovo imatura comporta-se como espermatozóide e 'fecunda' outra. Assim, o feto recebe apenas um material genético - da mãe - e forma-se apenas com as informações da fêmea. Um 'clone'.

Christine Dudgeon, cientista da Universidade de Queensland, explicou que "os genes da mãe são transmitidos de fêmea para fêmea até que haja machos disponíveis para acasalar". O mecanismo funciona como uma espécie de 'defesa' diante da escassez de espécies macho.


Considerados extremamente raros, a partogênese pode ocorrer em espécies que se reproduzem de maneira sexual, como peixes, répteis e até mesmo pássaros.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários