Imagens compartilhadas nas redes sociais mostram o tamanho do estrago causado pelo fogo
Reprodução
Imagens compartilhadas nas redes sociais mostram o tamanho do estrago causado pelo fogo

Um incêndio em um hospital de Bagdá, capital do Iraque, deixou pelo menos 82 pessoas mortas neste domingo (25) e outras 110 feridas. A tragédia ocorreu no Hospital Ibn al-Khatib, que abrigava dezenas de pacientes com Covid-19, e teria sido provocada por uma explosão em tanques de oxigênio.

Segundo a Comissão Iraquiana de Direitos Humanos, 28 das 82 vítimas eram pacientes que tiveram de ser retirados de respiradores mecânicos para escapar das chamas .

Após o incêndio , o premiê do Iraque, Mustafa al-Kadhimi, suspendeu o ministro da Saúde, Hassan al-Tamimi, que será interrogado sobre o caso. O chefe de governo também declarou três dias de luto nacional pelos mortos.

Os hospitais iraquianos sofrem com o sucateamento provocado por décadas de conflitos e investimentos escassos, mas também pela negligência e pela corrupção.

"A tragédia em Ibn al-Khatib é o resultado de anos de erosão das instituições do Estado pela corrupção e pela falta de gestão", escreveu no Twitter o presidente Barham Salih.

Já o papa Francisco, que esteve no Iraque em março , pediu orações pelos mortos no incêndio. "Estou ao lado das vítimas do incêndio em um hospital para pacientes da Covid em Bagdá", disse o pontífice na oração "Regina caeli".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários