Policial que matou homem negro nos EUA alega que confundiu taser com arma de fogo
Reprodução
Policial que matou homem negro nos EUA alega que confundiu taser com arma de fogo

A policia de Minneapolis se justificou a respeito do assassinato de outro cidadão negro nos Estados Unidos da América , desta vez de Daunte Wright. A policial que matou o jovem americano afirmou que se confundiu com as armas e atirou no rapaz acreditando estar com um taser na mão.

Tim Gannon, comandante da polícia de Brooklyn Center, relatou que "foi um tiro acidental que resultou na trágica morte" e que "a policial sacou sua pistola no lugar do taser".

O polícial exibiu um vídeo para a imprensa onde mostra a ação da policial envolvida puxando Daunte para fora do carro por uma suposta infração de trânsito.



Enquanto Wright se desentendeu com a polícia, a oficial gritou "taser, taser". Em seguida dos disparos, a policial se desespera: "Meu Deus, eu atirei nele". Gannon finalizou a coletiva dizendo que "não há nada que eu possa dizer para aliviar a dor da família Wright".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários