.
Valery Hache/divulgação
Jacqueline Veyrac foi sequestrada perto de sua casa em Cannes em outubro de 2016


Um ex-soldado britânico foi a julgamento com outras 12 pessoas na França, acusadas de sequestrar uma rica herdeira de um hotel. Jacqueline Veyrac, 80, proprietária do Grand Hotel cinco estrelas em Cannes, foi raptada na rua perto de sua casa em outubro de 2016.

Dois dias depois, ela foi encontrada presa e amordaçada na parte de trás de um Renault Kangoo, onde foi forçada a dormir em um colchão imundo. Veyrac, que também é dona do restaurante La Reserve em Nice, havia sido vítima de outra tentativa de sequestro três anos antes.

O principal suspeito é Giuseppe Serena, ex-gerente do La Reserve. Os promotores afirmam que ele guardava rancor contra Veyrac depois que ela rescindiu seu contrato em 2009. Ele é acusado de organizar e ordenar seu sequestro a fim de obter um resgate com o qual abriria um novo restaurante.

Serena, 67, também é acusado de ser o mentor de uma tentativa fracassada de sequestro em 2013. Ele é acusado de "cumplicidade em sequestro e tentativa de extorsão como parte de uma quadrilha", mas nega envolvimento em qualquer conspiração para sequestrar o rica dona do hotel.

O ex-soldado britânico Philip Dutton, 52, também está no banco dos réus, acusado de envolvimento no sequestro e no complô de 2013. Ele supostamente pretendia exigir um resgate de 5 milhões de euros, com a intenção de ficar com 10% de acordo com os investigadores, mas teria sido incapaz de contatar a família Veyrac.

Todos os 13 acusados ​​ estiveram presentes na sala do tribunal na abertura do julgamento. Esperava-se que Veyrac comparecesse na última quinta-feira (31), quando ela deveria testemunhar.

O crime

No dia 24 de outubro de 2016, dois homens mascarados emboscaram Veyrac quando ela estava prestes a entrar em seu carro e a colocaram em uma van roubada. Um dos sequestradores teria ameaçado matá-la se ela fizesse algum barulho e ela disse à polícia que foi forçada a ingerir um sedativo.

Enquanto a van estava estacionada e os sequestradores ausentes, Veyrac chutou repetidamente o interior do veículo, alertando um transeunte que a resgatou e alertou a polícia.

Detetives disseram mais tarde que Veyrac se comportou heroicamente ao tentar escapar de seus sequestradores várias vezes e recusar a comida que eles ofereciam.

Entre os outros réus está o ex-paparazzo Luc Goursolas, 50, que se tornou um detetive particular conhecido como Tintin. Ele admitiu ter instalado um dispositivo de rastreamento no carro de Veyrac, mas disse que não sabia nada sobre o plano de sequestro.

Dutton, de Liverpool, disse a seu advogado que serviu nas forças especiais do exército britânico e sofreu queimaduras graves na explosão de uma mina no Afeganistão em 2011. Ele afirmou que era um morador de rua em Nice e dormia na praia, onde conheceu um dos outros suspeitos .

O Grand Hotel na famosa Croisette de Cannes é popular entre as celebridades que frequentam o festival anual de cinema.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários