Moderna
Reprodução/Moderna
Diversos frascos da vacina tiveram que ser descartados após a falha de armazenamento

Os EUA são um dos países em que o  movimento antivacina tem mais força e vem expandindo seu número de adeptos nos últimos anos. Em meio à pandemia da Covid-19, em que a busca por uma vacina contra o coronavírus é a única solução viável, tais grupos podem se tornar uma ameaça aos esforços de combate ao vírus.

Um episódio ocorrido na última quarta-feira (30) em um centro médico no estado de Wisconsin mostra que esse perigo pode ser ainda mais danoso à população: um funcionário não identificado do Aurora Medical Center deixou 57 frascos da  vacina da Moderna fora da refrigeração intencionalmente, forçando o descarte de 500 doses do imunizante . Ele foi preso nesta quinta-feira (31) nos EUA.

Segundo informações da emissora de TV WISN 12, o responsável pela destruição das doses admitiu ter retirado os frascos dos refrigeradores que deveriam manter as vacinas na temperatura correta até que fossem ministradas. A relação dele com o movimento antivacina está sendo investigada.

Ainda de acordo com a publicação, o centro médico acionou a polícia da cidade de Grafton para relatar os detalhes do caso. Agora, o FBI e a FDA, agência reguladora dos EUA , também vão participar das investigações para descobrir se este foi um episódio isolado.

Em nota, o Aurora Medical Center informou que realizou apuração interna para confirmar a autoria do caso e que já demitiu o responsável: "Seguimos acreditando que a vacinação é o caminho para o fim da pandemia . Estamos decepcionador com o fato de as ações deste indivíduo resultem no atraso da imunização de 500 pessoas. Foi uma violação dos nossos valores".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários