Boko Haram
AFP PHOTO / MARLE
Boko Haram

O Boko Haram, grupo terrorista ligado ao Estado Islâmico, reivindicou nesta terça-feira (15) o sequestro de cerca de 333 estudantes raptados em uma escola na Nigéria na última sexta (11).

O líder do grupo, Abubakar Shekau divulgou o atentado cometido pelo grupo através de uma mensagem de áudio:

"Sou Abubakar Shekau, e nossos irmãos estão por trás do sequestro em Katsina(cidade na nigéria). O que aconteceu foi feito para promover o Islã e desencorajar práticas não islâmicas, pois a educação ocidental não é o tipo de educação permitida por Alá e seu santo profeta."

Na noite de sexta-feira (11), centenas de homens em motocicletas, fortemente armados, empunhando fuzis AK-47 , invadiram a Escola de Ciências do Governo em Kankara, e sequestraram 333 estudantes.

Muitos jovens conseguiram escapar do rapto se escondendo em uma floresta nos arredores do local.

O governador Aminu Bello Masari declarou em suas redes sociais que os sequestradores entraram en contato com as autoridades "para garantir a sua segurança e o regresso às respectivas famílias" e que as agências de segurança já informaram a posição onde eles estão localizados.

O presidente nigeriano , Muhamadu Buhari, logo após o ataque condenou os atos, ordenou o fechamento das escolas da região e que há uma operação militar em andamento para capturar os terroristas.

O Boko Haram é um grupo terrorista que surgiu na própria Nigéria e desde 2015 é ligado ao Estado Islâmico. "Boko" siginifica 'a educação não islâmica é pecado" na língua Hausa.

Em 2014, em uma das ações mais repercutidas do grupo, 200 meninas foram sequestradas de uma escola secundária em um vilarejo na Nigéria. Segundo relatos das jovens que conseguiram ser libertadas, elas eram usadas como escravas sexuais e vendidas para membros do grupo. 

Muitas das mulheres sequestradas continuam desparecidas ou foram declaradas mortas .


    Leia tudo sobre: Estado Islâmico

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários