.
Alecia Hoyt / xoxoalice.com
Receio aumentou após entrada de juíza considerada conservadora na Suprema Corte


À medida que a Suprema Corte Americana se inclina ainda mais para a direita após a confirmação da juíza Amy Coney Barrett , alguns americanos LGBTQI+ estão preocupados com o futuro do casamento entre pessoas do mesmo sexo .


Vários casais estão resolvendo o assunto com as próprias mãos e correndo para oficializar as uniões, com medo de que esse direito recém-conquistado seja destruído ou mesmo retirado .

Durante sua audiência de estreia, Barrett indicou que, se houvesse uma contestação para Obergefell x Hodges, o caso de 2015 que trouxe o reconhecimento federal do casamento homoafetivo , é provável que os tribunais inferiores "encerrassem tal processo" antes que chegasse à Suprema Corte.

Mas ela já defendeu a dissidência do presidente do Supremo Tribunal, John Roberts em Obergefell, de que o casamento do mesmo sexo deveria ser decidido pelos estados .

"Aqueles que desejam o casamento do mesmo sexo, vocês têm todo o direito de fazer lobby nas legislaturas estaduais para que isso aconteça, mas a opinião da dissidência era que não cabia ao tribunal decidir", disse ela em uma palestra de 2016 na Universidade de Jacksonville. Um ano antes - e poucos meses após a decisão de Obergefell - Barrett assinou uma carta aberta aos bispos católicos definindo o casamento como o "compromisso indissolúvel de um homem e uma mulher".

Sua associação ao longo da vida com a comunidade insular cristã People of Praise também  serve de alerta . Em 2018, o líder do grupo, Craig Lent, disse ao South Bend Tribune que qualquer pessoa que admitisse a atividade homossexual teria sua associação encerrada. 

O outro lado

O jovem ativista Jameson, que usa os pronomes ele/ela, afirma que tem tido conversas com "jovens queer membros da comunidade LGBTQI+" que estão "realmente com medo de ter que voltar para o armário ." "Se eles vêm [casar], vão garantir a proteção de seus empregos e da identidade de gênero."

Para ajudar a tornar "essas corridas" possíveis, Jameson e outros clérigos oficializaram a união de 14 casais entre 11 e 15 de outubro.

De acordo com uma pesquisa da semana passada do Public Religion Research Institute, 70% dos americanos apóiam o casamento entre pessoas do mesmo sexo, a maior porcentagem já registrada por um estudo nacional. Apenas 28% dos entrevistados se opunham ao direito. Mas muitos relutam em considerar esse apoio garantido.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários