.
Divulgação
No cemitério de Radwan, Aden, Iêmen, em maio de 2020, novas sepulturas apontam para o impacto da pandemia do novo coronavírus


Um estudo inovador, usando imagens de satélite de alta resolução para analisar cemitérios , observou que as mortes quase dobraram em Aden, o centro do  surto do novo coronavírus no Iêmen. A descoberta deu uma ideia da verdadeira escala da devastação que a pandemia causou no país vulnerável.


A pesquisa, ainda não revisada por pares, mas divulgada nesta quarta-feira (28), foi feita pela London School of Hygiene & Tropical Medicine e por especialistas em análise geoespacial da Satellite Applications Catapult, ambas na Inglaterra.

Os estudiosos usaram imagens de satélite, fontes de dados oficiais e entrevistas com pesquisadores na cidade de Aden para quantificar a atividade de sepultamento em todos os cemitérios identificáveis ​​dentro da cidade. Entre abril e setembro de 2020, houve cerca de 2.100 mortes na área, contra uma expectativa cerca de 1.300 óbitos.

Esses são os primeiros dados quantitativos significativos sobre o surto de Covid-19 no Iêmen e devem auxiliar no planejamento de resposta à pandemia e outras intervenções humanitárias vitais. Um projeto semelhante da mesma equipe está em andamento na Somália.

"Em um contexto como o do Iêmen, as estatísticas não são confiáveis ​​ou são apenas projeções, e até mesmo os atores locais têm dificuldade em coletar dados precisos", disse a autora principal, Emilie Koum Besson.

"Você pode dizer x ou y sobre a pandemia, mas se não houver dados para isso, você não pode realmente saber o impacto . Usar imagens de satélite para criar dados de saúde pública é uma ciência muito nova e esperamos que seja útil em locais afetados por conflitos."

O número total oficial de casos é de apenas 2.060, e as mortes são estimadas em 599 até o momento, mas a capacidade de testes no país é quase inexistente

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários