Vacina
Reprodução/Facebook
Suspensão ocorreu após efeito adverso em uma das voluntárias do processo

Nesta quarta-feira (9), um dia após a paralisação dos testes da vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford e a AstraZeneca , a OMS elogiou a pronta ação para garantir a segurança do imunizante, ponto que deve ser o primordial para todos os estudos de vacina ao redor do mundo.

"Só porque falamos da rapidez, não significa que iremos comprometer ou pegar atalhos nos caminhos a seguir. O processo precisa caminhar de acordo com as regras do jogo. Em termos de remédios e vacinas distribuídos para a população, devemos testar sua segurança em primeiro lugar e acima de tudo", afirmou Soumya Swaminathan, cientista-chefe da OMS , em entrevista à agência de notícias Reuters.

Tal suspensão ocorreu nesta terça após uma das voluntárias apresentar um efeito adverso ao tratamento. De acordo com o jornal norte-americano The New York Times, a reação teria sido uma mielite transversa, que é uma inflamação na medula espinhal.

Procurada pela Reuters, a Organização Mundial de Saúde afirmou que paralisações como essa são raras durante o processo de testagem de vacina, mas que podem ocorrer. 

"Estamos satisfeitos em ver desenvolvedoras de vacinas assegurando a integridade científica de seus ensaios clínicos e se atendo às diretrizes e às regras padrões no desenvolvimento de vacinas . É preciso ter adesão estrita aos protocolos estabelecidos em todos os ensaios clínicos, para garantir a segurança dos voluntários e a eficácia e própria segurança de vacinas", finaliza a nota.

    Veja Também

      Mostrar mais