foto
Santiago Mejía/EFE
Joseph DeAngelo, o 'assassino de Golden State', durante seu julgamento


Joseph James DeAngelo, mais conhecido como o "assassino de Golden State", foi condenado à prisão perpétua sem possibilidade de liberdade condicional, quatro décadas depois de aterrorizar os subúrbios de Sacramento e perseguir bairros no sul da Califórnia, invadindo casas para estuprar e torturar mulheres e meninas, e matando casais e mulheres jovens em suas camas.


Seus crimes deixaram um rastro de destruição que assombrou os sobreviventes e suas famílias. A sentença - que ocorreu em Sacramento nesta sexta-feira (21), no 40º aniversário de dois dos assassinatos - teve três dias de depoimentos de dezenas de mulheres e homens que sobreviveram aos crimes de DeAngelo, bem como familiares daqueles que não tiveram a mesma sorte.

O juiz Michael Bowman disse que ficou "comovido com toda a coragem, graça e força deles". "Todas as qualidades que lhe faltam”, disse ele, dirigindo-se a DeAngelo . "Você é capaz de compreender a dor e a angústia que causou? O réu não merece misericórdia ", disse Bowman antes da sentença, que foi recebida com aplausos.

Aqueles que esperaram décadas para enfrentar DeAngelo, finalmente tiveram a chance de fazê-lo esta semana; falaram do medo destrutivo com que conviveram desde os ataques, do pavor que sentiram antes de sua prisão de que ele pudesse voltar um dia e de seus esforços para recuperar suas vidas . Eles disseram a DeAngelo, um homem que por muito tempo permaneceu um "monstro sem rosto", que ele havia sido derrotado .

A sentença de sexta-feira foi dada em um salão de baile na Universidade Estadual de Sacramento, um local grande o suficiente para assentos socialmente distantes para todos os sobreviventes, familiares, advogados, policiais e mídia.

Lá dentro, sobreviventes e parentes se misturavam a policiais que trabalharam por décadas para resolver o caso. 

DeAngelo foi escoltado em uma cadeira de rodas e se sentou flanqueado entre seus advogados e dois policiais, usando uma máscara facial e um suéter branco sobre seu macacão laranja, olhando para baixo enquanto o juiz lia as dezenas de acusações das quais ele havia se declarado culpado.

O juiz levou vários minutos para ler as 13 acusações de homicídio e as 13  relacionadas com sequestro . Os membros das famílias enxugaram as lágrimas enquanto o juiz lia os nomes de seus entes queridos.

DeAngelo passou a maior parte das audiências da semana olhando para a frente, sem falar. Mas, na sexta-feira, ele se dirigiu ao tribunal . Houve suspiros de surpresa quando ele se levantou e tirou a máscara, fazendo uma breve declaração. "Ouvi todas as suas declarações, cada uma delas. E eu realmente sinto muito por todos que magoei", disse ele.

O "assassino de Golden State", aterrorizou a Califórnia durante os anos 1970 e 1980. Ele permaneceu como um dos mais notórios assassinos em série não identificados da América até que policiais conectaram DeAngelo a um caso usando DNA em 2018.

O ex-policial, de 74 anos, se declarou culpado em junho de 13 assassinatos, bem como 13 acusações relacionadas a sequestro, e admitiu dezenas de estupros no norte e centro da Califórnia entre 1976 e 1979.

Os policiais passaram mais de 40 anos tentando resolver os casos , que abrangeram 11 condados e tiveram profundo impacto em todo o estado, especialmente em Sacramento, onde as vendas de armas e alarmes dispararam durante o pico dos ataques.


    Veja Também

      Mostrar mais