López Obrador, presidente do México, falando ao microfone
Agencia Publica de Notícias del Ecuador e Suramérica
López Obrador, presidente do México

Andrés Manuel López Obrador, presidente do México , disse em entrevista coletiva nesta segunda-feira (17) que se ofereceria para ser um dos primeiros a se voluntariar para receber a aplicação da vacina russa contra a Covid-19 , doença causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2). "Eu seria o primeiro a ser vacinado", disse López Obrador em entrevista coletiva hoje.

O imunizante, que foi  registrado na última terça-feira (11) pelo governo russo, é  visto com desconfiança pela comunidade científica no mundo todo pela falta de transparância das autoridades na divulgação das informações sobre os estuddos.

Apesar da liberação para aplicação, a vacina está em fase de testes, sendo que as fases 2 e 3 dos testes clínicos estão sendo realizados de forma simultânea. Os resultados dos testes pré-clínicos, que são realizados em animais, não foram divulgados pelo governo russo.

Com o objetivo de dar mais credibilidade à vacina, os pesquisadores que são os responsáveis pelos estudos disseram que tomariam doses como voluntários. Além disso, o próprio presidente Vladimir Putin disse que uma de suas filhas já foi vacinada.

De acordo com a última atualização da Universidade Johns Hopkins, que é a referência mundial no monitoramente das mortes e casos confirmados da Covid-19, o México acumula 522.162 casos confirmados e 56.757 mortes causadas pelo novo coronavírus.

O México já possui acordos para participar de testes clínicos de uma possível vacina de empresas como a francesa Sanofi, a americana Janssen Pharmaceuticals e as chinesas CanSino Biologics e Walvax Biotechnology. O país também tem um acordo de produção da vacina da AstraZeneca, a mesma que está em tratativa com o Brasil.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários