cabelo humano
Divulgação / US Customs and Border Protection
Cabelo pode ser produto de vítimas do trabalho ilegal

Uma carga de 13 toneladas de produtos de beleza, incluindo grande quantidade de cabelo humano  para apliques, foi apreendida no porto de Newark (EUA) na última quarta-feira (1/7).

De acordo com CNN, a carga, avaliada em cerca de R$ 4 milhões, é originária de Xinjiang , na China, o que leva autoridades americanas a suspeitarem que o cabelo tenha sido retirado de prisioneiros mantidos em campos de trabalho forçado , não reconhecidos oficialmente por Pequim.

Xinjiang é uma região rural autônoma no noroeste da China onde vivem 11 milhões de uigures, uma etnia predominantemente muçulmana com idioma e cultura próprios e que é maioria na região.

Porém os EUA estimam que mais de 1 milhão de uigures sejam mantidos em campos criados pelo regime comunista, onde sofreriam abusos, seriam submetidos a tratamentos experimentais e passariam por doutrinação política.

"A produção desses artigos constitui uma violação muito séria dos direitos humanos", disse Brenda Smith, executiva da US Customs and Border Protection, órgão que faz o controle das fronteiras americanas.

    Veja Também

      Mostrar mais