O médico conselheiro da Casa Branca, Anthony Fauci
Agência Brasil
O médico conselheiro da Casa Branca, Anthony Fauci

Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas (NIAID) e membro da força tarefa de coronavírus da Casa Branca, afirmou que os EUA produzirão 100 milhões de doses de uma vacina contra o coronavírus até o início de 2021.

"Então, no início de 2021, esperamos ter algumas centenas de milhões de doses", disse Fauci, durante entrevista ao vivo no Journal of the American Medical Association.

O diretor afirmou que a primeira vacina canditada deve entrar em fase dinal de testes em voluntários, conhecida como fase III, em julho. 

Veja também: Vacina de Oxford contra Covid-19 será testada no Brasil

"O objetivo real de tudo isso será a Fase III, que começa na primeira semana de julho, espero", disse Fauci.

Testes

A fase III envolverá cerca de 30.000 pessoas. A vacina será testada em pacientes entre 18 e 55 anos de idade, bem como em idosos e em pessoas com condições de saúde subjacentes. "Será todo o espectro", disse Fauci.

A fase II teve início há alguns dias, com a participação de algumas centenas de voluntários.

Leia mais:Reabertura prolongará agonia e terá preço econômico muito alto, diz especialista

O plano é fabricar doses da vacina antes mesmo de ficar claro se as vacinas funcionam, fazendo cerca de 100 milhões de doses até novembro ou dezembro, disse Fauci. É assim que, se funcionar, pode ser implantado rapidamente, diz o diretor.

"Estou cautelosamente otimista de que, com os vários candidatos que temos com plataformas diferentes, teremos uma vacina que a tornará implantável", disse Fauci, que está otimista pois diz que a recuperação de muitos doentes mostra que há uma resposta imune que pode eliminar o vírus.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários