Abe
Reprodução/Japan Kantei
Em coletiva, primeiro-ministro afirmou que medidades restritivas poderão voltar caso doença cresça no país

Nesta segunda-feira (25), o Japão encerrou o estado de emergência na capital Tóquio e em outras quatro áreas do país que ainda estavam sob restrições de isolamento devido a pandemia do Covid-19.

Leia também: Ministro Dias Toffoli testa negativo para coronavírus

Segundo informações da agência Reuters, o primeiro-ministro do Japão , Shinzo Abe, ressaltou que o país conseguiu manter a infecção do novo coronavírus (Sars-Cov-2) sob controel e que isso mostrou a força do "modelo Japão". Entretanto, ressaltou que as medidas poderão ser reinstauradas caso a doença volte a crescer no país.

Na coletiva de imprensa, Abe também informou que o governo pretende criar dois pacotes de estímulos econômicos que deverão ultrapassar um total de 200 trilhões de ienes (mais de R$ 1 trilhão), mas afirmou que a normalidade deve demorar um "tempo considerável" para ser restabelecida no país.

Ainda de acordo com a agência, o ministro da Economia do Japão, Yasutoshi Nishimura, também confirmou o término do estado de emergência e a retomada das atividades no país: "é importante expandir a atividade econômica em estágios enquanto estabelecemos um novo modo de viver".

Leia também: Rodrigo Maia faz teste de coronavírus após internação de Toffoli, diz jornal

Até o momento, segundo dados da Universidade Johns Hopkins, que agrupa as informações sobre o Covid-19 em todo o planeta, o Japão soma quase 17 mil casos confirmados e 820 mortes.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários