Para Macron, todos os países devem ter direito à vacina.
Divulgação
Para Macron, todos os países devem ter direito à vacina. "A saúde não pode ser vendida", disse

O presidente da França, Emmanuel Macron, mostrou hoje seu apoio à Organização Mundial da Saúde e defendeu que todos os países tenham igual acesso à vacina contra a Covid-19, assim que ela for desenvolvida.

"Se descobrirmos uma vacina contra a covid-19, será um bem público global e todos deverão ter acesso a ela", disse Macron, numa declaração exibida na 73ª Assembleia Mundial da Saúde da Organização Mundial da Saúde.

O mandatário francês continuou, dixendo que a não disponibilização global da vacina prejudicaria a eficácia e seria um problema de princípios. Segundo ele, "a saúde humana não pode ser discutida, não pode ser apropriada e não pode ser comprada e vendida".

Macrona ainda afirmou que o mundo precisa da força da OMS para o enfrentamento à pandemia. "E a OMS somos nós, seus estados-membros", disse.

Veja também: "Ampliar uso da cloroquina pode gerar mortes em casa", diz Mandetta

No mesmo evento, a chanceler alemã, Ângela Merkel, definiu a pandemia como uma crise global e pediu esforços de todas as nações para combatê-la.

Angela Merkel defendeu a união das nações no enfrentamento à pandemia
World Economic Forum/Ciaran McCrickard
Angela Merkel defendeu a união das nações no enfrentamento à pandemia

"Estamos enfrentando uma crise global com centenas de milhares de pessoas que foram infectadas e afetadas por consequências sociais e econômicas que mostram que praticamente nenhum país foi poupado por essa pandemia", afirmou Merkel.

"Seremos capazes de superar essa pandemia quando trabalharmos juntos", completou.

Leia mais: Suécia sem quarentena: "apesar das mortes, funcionou", diz autor do modelo

    Veja Também

      Mostrar mais