genoma novo coronavírus
National Institutes of Health/EPA/Shutterstock
Teste rápido da empresa Abbott pode ter 30% a 50% de falsos negativos


Cientistas da Universidade de Nova York (NYU) revelaram que teste rápido para diagnosticar novo coronavírus , implementado na Casa Branca e considerado de confiança pelo presidente Donald Trump, pode produzir de 30% a 50% de testes negativos falsos.

Os testes são produzidos pela empresa farmacêutica Abbott e prometem dar o resultado de Covid-19 mais rápido que o de outras marcas. Se positivo, fica pronto em 5 minutos; se negativo, em 13 minutos, enquanto os convencionais levam 45 minutos.

Mesmo com a pouca confiabilidade em testes negativos, os resultados positivos são mais confiáveis.

A rapidez se dá pelo fato de que não o teste não precisa ser encaminhado a um laboratório, diferente dos testes moleculares (PCR). O teste da Abbott é capaz de detectar o vírus no material genético da pessoa que está sendo testada, aumentando-a a escala em que seja possível fazer o diagnóstico.

No entanto, pesquisadores notaram que os resultados falsos aconteciam 48% das vezes em que o cotonete estava seco, o que é recomendado pela própria Abbott, e um terço das vezes quando o líquido nasal entrava em contato com solução líquida.

Um porta-voz da empresa afirmou que as amostras coletadas para esse experimento podem não ter sido coletadas de maneira correta. Segundo ele, os falsos negativos correspondem a 0,02%.

Mas os pesquisadores concluíram que, com o resultado, a tecnologia não é aceitável para ajudar na rápida detecção da infecção.

    Leia tudo sobre: donald trump

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários