Covid-19
Pixabay
Desde início da pandemia, novo coronavírus já sofreu ao menos 30 mutações

Novas análises genéticas do novo coronavírus (Sars-CoV-2) que tomam como base os resultados de mais de 7,6 mil pacientes de diversos países revelam que a Covid-19 estaria circulando em todo o mundo desde o fim do ano passado. Segundo cientistas, o vírus se espalhou com mais velocidade do que era anteriormente imaginado. 

LEIA MAIS: Vacina para Covid-19 é testada em seres humanos na Alemanha

Algumas mutações também estão sendo registradas no coronavírus causador da Covid-19, mas cientistas britânicos afirmam que não há evidência de que ele esteja se tornando mais contagioso ou letal. “O vírus está mudando, mas isso não significa que está ficando pior”, disse o pesquisador genético François Balloux, do Instituto da Universidade de Londres, para a CNN.

Balloux e sua equipe fizeram o sequenciamento genético do Sars-CoV-2 com base nos dados globais obtidos. Eles analisaram amostras de diversos momentos e lugares, e afirmam que a contaminação global começou no fim do ano passado. Nas primeiras semanas de janeiro de 2020, acreditava-se que o vírus estaria “retido” na China. 

“Assumimos o cenário de que o novo coronavírus talvez estivesse circulando globalmente antes mesmo de ser identificado, contaminando grandes partes da população mundial”, diz Balloux, que acredita que pelo menos 10% da população global esteve exposta ao vírus. 

    Veja Também

      Mostrar mais